PETROBRAS TEM LUCRO DE R$ 6,9 BILHÕES NO 1° TRIMESTRE, ALTA DE 56%

08 de maio de 2018

Petrobras registrou lucro líquido de R$ 6,961 bilhões no 1º trimestre de 2018, alta de 56% frente ao mesmo período do ano passado (R$ 4,45 bilhões) e o melhor resultado dos últimos 5 anos.

Trata-se do maior lucro nominal desde o 1º trimestre de 2013, quando petroleira registrou ganhos de R$ 7,69 bilhões, segundo dados da provedora de informações financeiras Economatica. Este é também o melhor resultado trimestral desde o início a Lava Jato, cuja primeira operação foi realizada em março de 2014.

No 4º trimestre de 2017, a estatal tinha registrado prejuízo líquido de R$ 5,477 bilhões. No consolidado de 2017, a Petrobras teve prejuízo líquido de R$ 446 milhões, acumulando 4 anos consecutivos de perdas.

“São resultados bem robustos”, avaliou o presidente da companhia Pedro Parente ao comentar os resultados.

Segundo a Petrobras, o crescimento do lucro no 1º trimestre foi determinado pelos seguintes fatores:

  • Ganho de R$ 3,223 bilhões com a venda dos campos de Lapa, Iara e Carcará
  • Aumento dos preços internacionais do petróleo, que resultou em maiores margens nas exportações
  • Maior lucro com vendas combustíveis e derivados
  • Maiores margens e volumes na comercialização de gás natural
  • Menores gastos com ociosidade de equipamentos e redução das despesas

“Estamos cumprindo à risca o que prometemos no nosso plano de negócios anunciado em 2016 e o resultado do primeiro trimestre mostra que as escolhas têm sido acertadas e que o esforço tem valido a pena. Com este resultado, consolidamos a trajetória de recuperação da Petrobras”, destacou Parente em comunicado.

Já as vendas da Petrobras cresceram 9% no 1º trimestre ante os 3 primeiros meses de 2017, para R$ 74,46 bilhões. Na comparação com o 4º trimestre, entretanto, houve queda de 3%.

Redução do endividamento

A dívida líquida da Petrobras encerrou o 1º trimestre em R$ 270,7 bilhões, ante e R$ 280,7 bilhões em dezembro do ano passado. Em dólares, a queda do endividamento líquido foi de US$ 84,8 bilhões para US$ 81,4 bilhões, representando uma redução de 4%, segundo a estatal.

O lucro de juros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 25,67 bilhões, alta de 2% ante os R$ 25,25 bilhões no primeiro trimestre de 2017.

Evolução do endividamento da Petrobras
Dívida líquida, em R$ bilhões
221,548221,548282,033282,033391,957391,957314,12314,12280,752280,752270,712270,7124º tri/20134º tri/20144º tri/20154º tri/20164º tri/20171º tri/20180100200300400500
Fonte: Economatica e Petrobras

Para reduzir o nível de alavancagem, a Petrobras tem como meta vender US$ 21 bilhões em ativos no biênio de 2017 e 2018. Na semana passada, a estatal anunciou a abertura do processo para vender o controle das refinarias Abreu e Lima e Landulpho Alves, no Nordeste, e Alberto Pasqualini e Presidente Getúlio Vargas, no Sul.

Via: G1

  • Compartilhe:

Publicidade