MILITARES VÃO PRESTAR CONTINÊNCIA A LULA OU A QUALQUER OUTRO, DIZ COMANDANTE DA FAB
31 de janeiro de 2022

 

Questionado se irá prestar continência caso o hoje favorito nas pesquisas eleitorais, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ou outro candidato tome o lugar de Jair Bolsonaro (PL) em 2023, Carlos de Almeida Baptista Junior é direto.

“Lógico. Nós prestaremos continência a qualquer comandante supremo das Forças Armadas, sempre”, disse. Se a resposta parece óbvia, os três anos de governo do capitão reformado do Exército em que os militares voltaram aos holofotes da política a fazem necessária neste 2022.

Não foram poucos, nesse período, que viram com temor a proximidade das Forças Armadas das ideias autoritárias e golpistas do presidente.

E Baptista não é um militar qualquer. É, desde a crise que derrubou a cúpula da Defesa em abril, o comandante da FAB (Força Aérea Brasileira). Mais que isso, o tenente-brigadeiro-do-ar sempre é citado nos meios militares como o mais bolsonarista dos três chefes que ascenderam na ocasião. Ele dá de ombros.

“Não sei de onde saiu isso. Esse clichê me foi colocado uma hora depois da minha indicação”, disse à Folha em entrevista no seu gabinete, na quinta-feira passada (27).

Depois ele sugere a origem: sua atuação nas redes sociais, onde interage com postagens da órbita bolsonarista. “Como comandante da FAB, sempre ratifiquei a posição apartidária da Força. Uma coisa é falar de política, outra é de política partidária”, diz.

Em julho passado, Baptista Junior gerou polêmica ao reforçar a crítica feita por Walter Braga Netto (Defesa) à CPI da Covid. Citando militares investigados no Ministério da Saúde, o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), falou em “lado podre” das Forças.

O brigadeiro, que havia coassinado a nota de Braga Netto com os outros dois comandantes, concedeu entrevista dizendo que “homem armado não faz ameaça”. O comandante diz que estava certo.

Sua fala sobre a eleição vem na sequência de um movimento em que Exército e Marinha sinalizaram descolamento de Bolsonaro, como a Folha mostrou recentemente. É uma sinalização institucional a Lula, presidenciável ao qual os militares são mais refratários, e a outros candidatos.

Questionado sobre o fato de que a FAB permite que militares não vacinados contra Covid-19 trabalhem, desde que assinem termos, ele diz os protocolos de saúde são rígidos. Até dezembro, 93% dos 66 mil militares da Força haviam tomado ao menos uma dose, e 65%, as duas.

O comandante também falou sobre a carta na qual anunciou o corte de parte da encomenda da aviões de transporte KC-390 da Embraer, primeira rusga pública da Força com a empresa que foi dela de 1969 a 1994. “A partir de hoje, eu sou o cliente”, afirma.

Na troca dos comandos, o sr. foi apontado como o mais bolsonarista dos novos chefes. Depois, houve o episódio da CPI da Covid. Como o sr. vê essa avaliação? Acho que isso veio da indicação [do presidente]. Não demorou uma hora, e um site de política me chamou de o mais bolsonarista dos novos comandantes. Não sei de onde saiu isso. Como comandante da FAB, sempre ratifiquei a posição apartidária da Força. Uma coisa é falar de política, outra é de política partidária.

Esse carimbo, esse clichê, me foi colocado uma hora depois da minha indicação. Possivelmente porque eu era o único que utilizava, e ainda utilizo, as mídias sociais, com todos os riscos disso, porque acho que é ferramenta importante. O comandante da FAB é uma figura parcialmente política, e não estou falando de política partidária, estou falando da melhor definição de política, de interlocução com autoridades do governo, em prol da missão da Força Aérea.

Foi um episódio traumático? Foi uma troca de comandantes, que são cargos de livre provimento do presidente, e não vou entrar nessa avaliação, pois não cabe a mim avaliar os atos do presidente. Mas logo depois o voo de cruzeiro voltou à Força Aérea. Eu tenho 46 anos de FAB. Ela está dentro de seu papel constitucional. Ou seja, não há tendências político-partidárias na FAB, aliás, como as Forças fazem desde 1985. Foi sim uma troca inesperada, mas o voo de cruzeiro está voltando, estamos focando os projetos estratégicos.

E a questão da nota contra a CPI? Cada um de nós que entra nas Forças Armadas faz um juramento, que é a defesa da pátria, e no finalzinho diz “cuja a honra, integridade e instituições defenderei com o sacrifício da própria vida”. Aquela nota ocorreu porque a CPI é uma ferramenta da democracia, mas as instituições são o que garante a democracia. A instituição militar, judiciária, a imprensa. Cada um de nós tem uma responsabilidade muito grande.

Aquela nota foi apenas para que a gente firmasse a posição de que um, nós não somos lenientes com erro. Se houver algum militar errando, existe o Poder Judiciário, mecanismos de controle. Mas isso não pode transbordar para o todo. Quando alguém quer atacar a mídia, é muito ruim, se ele quer atacar um repórter que não tem a responsabilidade que deveria ter. Isso serve para militar. Acho que foi bem recebido, tanto que no relatório final da comissão não foi citada a instituição, mas os indivíduos.

Eu concedi a entrevista [ao jornal O Globo] no dia seguinte porque achei que ficou faltando a gente ratificar a nossa não leniência com desvios. Logicamente, repercutiram outras palavras.

A questão do homem armado não fazer ameaça. Isso serve para qualquer pessoa com arma. É nosso mote, que a arma não serve para ameaçar ninguém. Cumpriu o objetivo.

O ano passado foi todo de crispação política extrema, até o 7 de Setembro [quando Bolsonaro protagonizou atos golpistas]. Desde então, a situação refluiu um pouco, com a entrada do centrão no governo. O sr. acha que essa situação agora reduziu a exposição dos militares? Os militares estão expostos como no governo de Fernando Henrique Cardoso [PSDB, 1995-2002] estavam expostos os acadêmicos e no governo de Luiz Inácio Lula da Silva [PT, 2003-10], os sindicalistas. O presidente trouxe para o governo dele pessoas de sua confiança.

Essa exposição maior dos militares sob Bolsonaro leva também a uma incompreensão mútua, com a imprensa por exemplo. Mas a relação veio para ficar, não? O poder civil tem pouco interesse historicamente no militar? Eu acho que depende de atividades como essa conversa. O poder civil é muito pouco focado na atividade militar, e talvez dê muito pouca importância à instituição militar. Acho que isso tem a ver com longo período de paz do Brasil, graças a Deus, estamos aqui para evitar a guerra. Isso é dissuasão.

Isso é bom, mas não é bom quando não conseguimos discutir prioridades orçamentárias. Quando não conseguimos colocar a imagem de que somos um seguro de um país riquíssimo. Só se sai desse status atual com muito diálogo.

Sobre a participação das Forças no governo, a FAB, até por ser menor, tem uma participação menor. Isso é normal. Qualquer governo precisa buscar os melhores na sociedade para fazer a gestão, sejam eles civis ou militares, e aí falo de militares da reserva.

O sr. concorda que devam ser da reserva? A lei autoriza o uso de militares da ativa por até dois anos. Esse é um debate muito interessante, como a elegibilidade de militares, juízes, procuradores. Não devemos partir a casuísmos.

Como o sr. vê a tensão eleitoral em 2022, e a eventual mudança total de orientação do próximo governo? Eu receio que nossa sociedade esteja muito dividida, muito polarizada e radical. Isso é ruim para o futuro, estamos chegando a um nível de incapacidade de compreender uma visão diferente, e isso se reflete na disputa política. A FAB, e as Forças, tenho certeza, se manterão dentro de sua destinação constitucional. Não tomarão partido, a política não entrará nos nossos quartéis. Não há qualquer indução por parte do comando da FAB. Como cidadão, vejo com preocupação como estamos radicalizados, isso não é bom.

Objetivamente, vocês vão prestar continência se Lula ou qualquer outro for presidente? Lógico. Nós somos poder do Estado brasileiro. A continência é um símbolo. Quando a gente entra nas Forças Armadas, a gente aprende que ela visa a autoridade. Nós prestaremos continência a qualquer comandante supremo das Forças Armadas, sempre.

Quando o sr. encontrou com o Gilmar Mendes para dizer isso [depois da crise da nota da CPI], algumas pessoas perguntaram: “Mas ele não é bolsonarista?”. Não, eu sou comandante da Força Aérea, represento uma instituição.

O sr. acredita que há um dano às Forças pela associação com o governo Bolsonaro? As Forças sempre foram as instituições mais respeitadas. Não acho que haja dano como instituição, embora pense que haja uma utilização disso da parte contrária. Os exemplos que damos são as melhores ferramentas que temos, mesmo que a curto prazo isso não seja entendido. A sociedade sabe que pode continuar contando com suas Forças Armadas como instituições de Estado, apartidárias.

O sr. tem alguma percepção de politização na tropa? Não, eu mantenho a tropa informada e damos o exemplo. Logicamente, sei que num ano eleitoral essa preocupação tem de ser enfatizada, pois somos feitos de cidadãos.

O Exército mandou adiantar os exercícios militares até setembro para ter tropas à disposição em caso de confusão na eleição e depois. Haverá algo assim na FAB, isso se aplica? Não, qualquer participação nossa é mais de apoio logístico, o que já fazemos 24 horas por dia. Aqui falamos da questão dos meios.

Nós começamos a pandemia em 24 de fevereiro, a nossa primeira missão foi em 6 de março, fomos buscar os brasileiros em Wuhan. Chegar lá com os países todos fechados foi um trabalho importante. Desde 2013, o Brasil carece de um avião para essa missão. Hoje [quinta, 27] foi lançado o edital para a compra de dois aviões A330 para essa função.

Não há uma sinalização contraditória para a indústria nacional, já que foram reduzidas as compras do cargueiro KC-390 da Embraer? A FAB é feita de um arranjo muito bem pensado de meios, doutrina, infraestrutura, pessoal treinado. Quando vamos aos meios, existe um planejamento baseado em capacidades. O Brasil precisa de 28 KC-390 [encomenda inicial a ser reduzida]? Talvez até mais.

Mas temos de olhar nossa defesa como círculos concêntricos, no centro tem de ter 36 caças Gripen armados, não avião para o [desfile do] 7 de Setembro, depois helicópteros, transporte. O que estamos fazendo é que não dá para ter isso no contrato com nossa realidade orçamentária. Imagina comprar um carro 2021 para receber em 2040.

Mas sua carta aberta à Embraer foi algo inédito, os termos foram duros. Foram. Nesses 50 anos, fizemos opções. Não temos a opção de fazer a Embraer em vez de fazer a Força Aérea. Temos de fazer a Força Aérea, trazendo o spin-off de toda a indústria. Muitas vezes, a opção priorizou a Embraer, para desenvolvimento da indústria. Mas minha função aqui é fazer a Força Aérea. Isso não é algo de governo, viu?, é um processo.

O ministro Raul Jungmann [Defesa, 2017-18] falou isso quando assumiu: precisamos caminhar do possível para o necessário. O que é possível com o limite orçamentário que é dado. Se isso me deixa fazer um desembolso de prioridades e pagar R$ 1 bilhão por ano em KC-390, só posso pagar um avião e meio por ano. Comprar 28, só vamos receber daqui a 14 anos, não faz sentido para nós ou para a Embraer. Há processos de obsolescência a analisar.

Estamos próximos de finalizar a renegociação. Converso toda a semana com o CEO da Embraer. A Embraer e a FAB são indissociáveis. A lei autoriza a gente reduzir ou ampliar em 25% qualquer objeto contratual unilateralmente sem causar danos, prejuízo, ao contratado.

O sr. acha que houve uma inversão de papéis na relação da FAB com a Embraer depois da privatização de 1994? Este é o primeiro parágrafo da minha mensagem. A partir de hoje, eu sou o cliente.

Filho do comandante da FAB de 1999 a 2003, o brigadeiro é piloto especializado em aviação de caça, somando 2.200 das suas 4.000 horas de voo nesses modelos. Entrou na Força em 1975, e chegou ao topo da hierarquia em 2018. Assumiu o comando quando era responsável pela logística da corporação, após a crise militar que derrubou a cúpula da Defesa em abril de 2021.

 

Igor Gielow/Folhapress

  • Compartilhe:

Mais do Mural do Oeste

Mais do Mural do Oeste

23/02/2024 NATHÁLIA QUEIROZ, FILHA DE QUEIROZ DA SANTA LUZIA E DE DONA LIDELCI QUEIROZ, SE FORMA, NA UFOB, NO CURSO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL     Nathália Queiroz, filha do ativista politico Queiroz da Santa Luiza e de dona Lindelci Queiroz, irmã de Daniela Queiroz, vive um momento de extrema felicidade com toda a família, parentes e amigos. Ela se formou de forma brilhante no curso de Engenharia Sanitária e Ambiental pela U ...
  • Compartilhe:

23/02/2024 OGIÉ FURTADO EX-PRESIDENTE DA CAMARA DE SANTA RITA SE REÚNE COM PRESIDENTE ESTADUAL DO PARTIDO DA MULHER BRASILEIRA ORGANIZANDON A PRÉ-CAMPANHA A PREFEITIO         O pré-candidato a prefeito de Santa Rita de Cássia, Ogié Furtado se reuniu em Barreiras com o presidente estadual do PMB, Partido da Mulher Brasileira, senhor Wanderley para tratar de assuntos da sua pré-campanha em Santa Rita. Participaram do encontro a Dra. Paloma, ...
  • Compartilhe:

23/02/2024 AOS 80 ANOS, MORRE WILSON FITTIPALDI, EX-PILOTO DE FORMULA 1 Foto: Reprodução / Instagram Morreu nesta sexta-feira (23), o ex-piloto da Fórmula 1, Wilson Fittipaldi Júnior. Wilson faleceu vítima de complicações provocadas por parada cardíaca sofrida em dezembro após um engasgo. Ele era irmão mais velho do também ex-piloto de F1, Emerson Fittipaldi. ...
  • Compartilhe:

23/02/2024 MORAR LEGAL: PREFEITURA DE BARREIRAS ENTREGA MATRÍCULAS DE MAIS DE 500 IMÓVEIS REGULARIZADOS PARA FAMÍLIAS DE VÁRIOS BAIRROS Garantir a dignidade da pessoa humana é um dos princípios norteadores do Projeto Morar Legal desenvolvido pela Prefeitura de Barreiras por meio do Núcleo de Regularização de Imóveis (NRI), que entregou nesta quarta-feira (21), matrículas referentes a mais 500 imóveis regularizados de famíli ...
  • Compartilhe:

23/02/2024 BOMBEIROS DO 17º BATALHÃO MARCAM PRESENÇA NO 62º ANIVERSÁRIO DE SÃO DESIDÉRIO E PROTAGONIZAM MOMENTO EMOCIONANTE DURANTE EVENTO FESTIVO   Nesta quinta-feira (22), as equipes do 17º Batalhão de Bombeiros Militar se destacaram no 62º aniversário de São Desidério, participando ativamente das celebrações. Um dos pontos altos foi o Eco Bike Masculino, onde os bombeiros acompanharam os ciclistas em um percurso de 38km, partin ...
  • Compartilhe:

23/02/2024 PREFEITURA DE BARREIRAS MANTÊM PARCERIA COM PROGRAMA JOVEM APRENDIZ NO CAMPO, AULA INAUGURAL FOI NESSA TERÇA-FEIRA   O secretário de Agricultura e Tecnologia de Barreiras, José Marques, e o chefe de gabinete, Melchisedec Neves, marcaram presença na aula inaugural do Programa Jovem Aprendiz na Área Rural, em 2024. A iniciativa é promovida pelo Instituto Aiba (Iaiba), em parceria com a Associação de Ag ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 BARREIRAS: JUSMARI MINISTRA AULA INAUGURAL NO COLÉGIO ANTONIO GERALDO A secretária de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Jusmari Oliveira, cercada de correligionários e admiradores, proferiu uma aula inaugural no Colégio Antônio Geraldo, um dos mais tradicionais de Barreiras. O evento foi nesta quarta -feira e centenas de pessoas compareceram para ouvir a secretári ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 DÍVIDAS RENEGOCIADAS NO DESENROLA BRASIL SOMAM R$ 35, 6 MILHÕES   A cerca de 40 dias do fim do prazo, o Desenrola Brasil renegociou R$ 35,6 bilhões em dívidas, divulgou nesta terça-feira (20) o Ministério da Fazenda. Ao todo, 12 milhões de brasileiros refinanciaram 17 milhões de débitos, que foram retirados de cadastros negativos, reparcelados ou qui ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 PROFESSOR É PRESO NO INTERIOR BAIANO ACUSADO DE IMPORTUNAÇÃO SEXUAL CONTRA ALUNAS   Foto: Divulgação / Polícia Civil Um professor foi preso em Amargosa, no Recôncavo, acusado de importunação sexual contra alunas. Nesta quarta-feira (21), uma equipe da delegacia local cumpriu o mandado de prisão preventiva contra o docente. Segundo a Polícia Civil, seis vítimas fora ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 CANTOR DJAVAN PASSA MAL E É INTERNADO EM HOSPITAL DO RIO DE JANEIRO Foto: Divulgação Djavan foi internado em um hospital no Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira (21). De acordo com o portal Em Off, o cantor foi submetido a exames de rotina, dentre eles uma colonoscopia, para verificar a saúde do intestino grosso.   A suspeita da equipe médica é que ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 PREFEITO ZITO ENTREGA MATRÍCULAS DE MAIS DE 500 IMÓVEIS ATRAVÉS DO PROJETO MORAR LEGAL Garantir a dignidade da pessoa humana é um dos princípios norteadores do Projeto Morar Legal desenvolvido pela Prefeitura de Barreiras por meio do Núcleo de Regularização de Imóveis (NRI), que entregou nesta quarta-feira (21), matrículas referentes a mais 500 imóveis regularizados de famíli ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 DANIEL ALVES É CONDENADO A 4 ANOS E 6 MESES DE PRISÃO POR ESTUPRO     Sentença diz que o brasileiro jogou a mulher no chão do banheiro de uma boate em Barcelona, imobilizou-a e penetrou sem consentimento. O ex-jogador ainda terá que pagar uma indenização de mais de R$ 800 mil para a vítima e será vigiado por 5 anos após cumprir a pena. Sua defesa ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 TODOS CONTRA A DENGUE: PREFEITURA DE BARREIRAS INICIA AÇÕES DE MOBILIZAÇÃO NO COMBATE ÀS ARBOVIROSESS A Prefeitura de Barreiras, por meio das Secretarias de Saúde e de Infraestrutura, deu início nesta terça-feira (20), às Ações de Mobilização “Todos contra a Dengue” objetivando fortalecer o combate às arboviroses na Capital do Oeste. O ponto de encontro aconteceu no Parque Mult ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 SECRETARIA DE SAÚDE DE BARREIRAS AMPLIA SALAS DE VACINA PARA APLICAÇÃO DA BCG Com a proposta de ampliar a oferta da vacina BCG para os recém-nascidos do município e visando dinamizar o acesso da população ao serviço, bem como, o aumento da cobertura vacinal, a Secretaria de Saúde de Barreiras aumentou o número de unidades de saúde com Salas de Vacina aptas para a apli ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 PREFEITURA E ILUMINA BARREIRAS AVANÇAM NA EXECUÇÃO DO CRONOGRAMA DE SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS EM BAIRROS DA CIDADE A Prefeitura de Barreiras, por meio da empresa Ilumina Barreiras, detentora da concessão de iluminação pública que segue inovando nas mudanças do parque de iluminação pública da Capital do Oeste e que executa o maior programa de iluminação no Oeste da Bahia, avança no cronograma de substi ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO SENHOR BENEVIDES ANTÔNIO DE ALMEIDA Recebemos com muita tristeza e pesar a notícia do falecimento do senhor Benevides Antônio de Almeida, pai da subsecretária de Assistência Social e Trabalho, Maritânia Gonçalves, ocorrido nesta segunda-feira (19), no povoado de Mutamba, em São Desidério. Aos 87 anos, seu Benevides Antônio de ...
  • Compartilhe:

22/02/2024 PARABÉNS SÃO DESIDÉRIO PELOS 62 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA
  • Compartilhe:

22/02/2024 ABL VAI EMPOSSAR NOVA DIRETORIA NESTE SÁBADO A Academia Barreirense de Letras promove no próximo sábado (24) a posse da nova diretoria com um evento solene no Centro Cultural Rivelino Silva de Carvalho a partir das 19h30. Em seguida acontece um sarau de confraternização na sede da entidade. Criada para valorizar a produção literária loc ...
  • Compartilhe:

21/02/2024 PALESTRA IDEALIZADA PELA UMOB ABORDARÁ OS DESAFIOS JURÍDICOS PARA AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2024 A UMOB – União dos Municipios do Oeste da Bahia estará realizando a palestra – Desafios Júridicos para as ELEIÇÕES MUNICIPAIS de 2024, com o advogado Ademir Ismerim Medina. Data: 28/02/2024 Local: Auditório da UNIDOMPEDRO Horas: 15h30 Inscrições clicando AQUI ou Qrcode na foto
  • Compartilhe:

21/02/2024 MANIFESTAÇÃO DE TAXISTAS MOSTRA O IMPACTO DOS APLICATIVOS DE MOBILIDADE NA CIDADE DE BARREIRAS A cidade de Barreiras viveu uma manhã de manifestação no Terminal Rodoviário do Município. O debate se deu entre os tradicionais serviços de táxi e os inovadores aplicativos de mobilidade, como o Karro, que recentemente instalou uma base para motoristas na rodoviária de Barreiras. Esse embat ...
  • Compartilhe:

Publicidade

Publicidade