LEM: ALDO DOURADO ESTARIA MANDANDO RECADO PARA OS QUE O COMPRARAM NA CAMPANHA ELEITORAL?

22 de fev de 2021

Alvo de uma operação da Polícia Federal com objetivo de apurar suposto esquema de corrupção na eleição 2020 em Luís Eduardo Magalhães, o ex-candidato ao cargo de vice-prefeito pelo PL, Aldo Carneiro Dourado, se diz profundamente arrependido e quer voltar o quanto antes para perto da família e dos amigos.

Aldo responde pelo crime em liberdade e, de acordo com a PF, ele é suspeito de receber dinheiro para desistir da candidatura, anulando a chapa, deixando que a disputa ficasse entre apenas dois candidatos.

De acordo com o ex-candidato em conversa com o blog Aires Fernandes News, ele foi induzido por um grupo político a aceitar dinheiro para desistir das eleições e que agora se sente prejudicado por estar longe da família e da vida cotidiana.

Durante a conversa, Aldo relatou que constantemente o grupo o chamava para beber e, ainda de acordo com Aldo, foi em uma destas noites de muitas bebidas que aconteceu o esquema. Segundo fontes relataram para o blog Aires Fernandes News, Aldo teve o celular recolhido para apagarem todos os dados e conversas, e ainda a ameaça de nunca mais voltar para Luís Eduardo.

A investigação do caso teve início em novembro e o prazo de 90 dias para que a PF entregasse os resultados para o Ministério Público Federal se encerram neste mês de fevereiro.

MAIS OESTE

Como as informações se encerram em fevereiro em possível que dentro em breve se tenha novidades sobre o assunto que movimentou a política de Luís Eduardo Magalhães.

  • Compartilhe:

Publicidade