DATAGRO APRESENTA PANORAMA DO MERCADO DE GRÃOS

26 de out de 2018

Analista chefe de grãos, França Júnior, projeta boa safra para o milho e a soja

Foi realizado quarta-feira (24) o 4º DATAGRO Crop Call Grãos, com ênfase na safra brasileira 2018/19 de soja e milho. O analista chefe de grãos da DATAGRO Consultoria, Flávio Roberto de França Júnior analisou com exclusividade para os clientes as projeções de crescimento da área, aumento da produção de grãos e previsões do mercado para o setor.

Entre os diversos temas que permeiam a discussão sobre a soja e o milho, o webinar destacou perspectivas para a safra 2018/19 no Brasil, principais aspectos para formação de preço, variáveis de oferta e consumo, além de principais indicadores do mercado financeiro e o impacto sobre as cotações.

No cenário apresentado por França Júnior, a perspectiva é de elevação para o plantio da safra de milho em 2018/19, que deve totalizar 17, 376 milhões de hectares na soma das duas safras, contra 16,824 milhões ha da safra anterior. “O mesmo deve acontecer com a colheita, que deve alcançar 92,771 milhões de toneladas, contra 81,137 milhões de tons da revisada safra deste ano. Em relação à soja, também é esperado um aumento na área para 36,112 milhões de ha, contra 35,241 milhões ha da safra atual. E na produção para 122,245 milhões, contra 120,232 milhões de tons da também revisada safra atual”, destaca o analista.

Segundo o especialista, a safra apresenta vários fatores positivos, como preços em 2018 bem melhores se comparados ao ano anterior, produtividade recorde, lucratividade bruta entre 24% e 47%, demanda global consistente e boa disponibilidade de crédito.

Foram previstos ainda alguns cenários de preços na Bolsa de Chicago, prêmios e câmbio para 2019, e as expectativas de impacto para o mercado interno – revelando tendências mais apertadas de renda aos produtores, porém ainda positivas.

“Dos três principais fatores da formação dos preços para a soja, temos a CBOT com cenário conservador, dependendo do avanço na guerra comercial entre EUA x China, prêmios positivos, mas também atrelados ao conflito entre norte-americanos e chineses, e câmbio em queda, dependendo da formação do novo governo e avanço das reformas. Mas apesar do cenário de preços domésticos menores em 2019, vejo margens ainda positivas aos produtores brasileiros de soja e milho.” Informou França Júnior.

 

Mural do Oeste / Com DATAGRO

  • Compartilhe:

Publicidade