CURADOR QUE ATENDIA EM BARREIRAS É PROCURADO PELA POLÍCIA POR SUSPEITA DE MORTES EM CIRURGIAS ESPIRITUAIS

04 de jan de 2019

Foto de uma das vítimas

Um curador que agia em Barreiras é o novo alvo da polícia por suspeita de ter provocado a morte de duas pessoas, além de causar lesões a uma outra durante cirurgias espirituais. Os procedimentos do curador eram realizados em Barreiras, capital do Oeste Baiano e atraia multidões. Ele cobrava cerca de 200 reais pelas cirurgias e 600 por remédios que dizia ser manipulado. O caso vem tendo repercussão na cidade e na região e mobilizou a opinião pública. O delegado Francisco Carlos de Sá, responsável pela investigação do caso, informou que o curador atendia cerca de 500 pessoas por dia, inclusive de outros estados, que chegavam desesperadas em busca de cura. Segundo o delegado, a polícia tem apenas o pré-nome do suspeito, identificado por Antonio. Ele dizia trabalhar em um centro espírita na cidade Aparecida de Goiânia. O inquérito policial foi aberto no dia 6 de dezembro e a Polícia Civil de Barreiras trabalha intensamente para apurar os fatos mas até o momento não localizou o autor das cirurgias espirituais.

Segundo o site Mais Oeste, uma das pessoas que morreu após o procedimento é uma mulher de nome Vanderluce, de 42 anos. Segundo o marido dela, Eguinaldo Cavalcante, a mulher sofria muito com dores abdominais e, em novembro do ano passado, decidiu passar pela suposta cirurgia espiritual, após se consultar com Antônio.

O auxiliar de portaria conta que ele e outras pessoas acompanharam o procedimento realizado na mulher, que durou mais de três horas.

“Foi introduzida uma agulha na parte do abdômen, na linha da cintura, abaixo do ‘umbigo’, entre a genitália dela. Ele fazia cirurgia numa sala, no meio de todo mundo, homem, mulher, criança, todo mundo junto”, contou Eguinaldo.

Depois da cirurgia, de acordo com o marido de Vanderluce, a esposa teria tomado uma substância receitada e vendida pelo suposto médium, que afirmou ser um remédio manipulado.

Em seguida, Vanderluce começou a passar mal e foi internada. Um mês depois, a mulher morreu em decorrência de uma infecção generalizada. Eguinaldo conta que tenta contato com o suspeito, mas não consegue retorno.

“Eu estou lutando com todas as forças, mas sei que a justiça ser a de Deus. Estou tentando entrar em contato por telefone, mando pessoas ligarem de números diferentes, não estou conseguindo entrar em contato de maneira alguma”, disse Eguinaldo.

Outra pessoa atendida pelo suspeito morreu em um hospital, na cidade de Barreiras, na semana passada. Arnaldo Domingos era da cidade de Baianópolis, que fica a cerca de 50 km de Barreiras. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Já o marido de dona Sonha Maria Alves, Mário, de 71 anos, ficou em estado grave, mas conseguiu superar as complicações que apareceram depois da suposta cirurgia espiritual para curar um problema nos testículos. Contudo, precisará passar por uma cirurgia de reparação.

A dona de casa conta que, diferente do que acontece na maioria das cirurgias espíritas, Antônio cobrava pelo serviço.

“A gente passou pela filha dele, que faz parte da equipe, e ela cobrou R$ 200 pela cirurgia e mais R$ 600 pelos medicamentos. Inchou muito. A gente veio para o Hospital do Oeste e quando chegamos aqui foi preciso ser feita uma cirurgia de emergência”, disse Sonha.

“Ele atendia mais de 500 pessoas por dia. Tinha, inclusive, pessoas de outros estados. Segundo informações, ele utilizava um objeto perfurocortante, tipo um bisturi, e uma sala. Foi expedido guia para a Polícia Técnica, para que vá até a chácara, e dali se verifique as condições de higiene e segurança. Bom como, também foi oficiado a nossa Vigilância Sanitária, para que fosse até o local, porém, a chácara encontra-se fechada. Nós vamos manter contato com o advogado da proprietária dessa chácara, para que ele facilite a entrada”, contou o delegado Francisco de Sá.

  • Compartilhe:

Publicidade