COLÉGIO MUNICIPAL DE BARREIRAS TERÁ SUA GESTÃO COMPARTILHADA COM A POLÍCIA MILITAR

27 de set de 2019

A Prefeitura de Barreiras deu andamento ao processo de implantação da gestão compartilhada do Colégio Municipal Eurides Sant´Anna, na manhã desta quarta-feira, 25. Reunidos no gabinete, a secretária de educação, Cátia Alencar, a chefe de gabinete, Marileide Carvalho, o comandante do CPRO Coronel PM Osival Cardoso, o subcomandante Tenente Coronel Camilo Uzêda e o Capitão PM Jorge Coutinho, que será diretor disciplinar na unidade de ensino, acompanharam a sanção da lei, realizada pelo prefeito Zito Barbosa, que viabiliza a contratação dos militares para atuação no ambiente escolar.

“Encontramos na Polícia Militar da Bahia uma parceira importante na segurança pública e agora, também, na área da educação. O Colégio Militar de Barreiras já é uma referência e temos certeza de que a gestão compartilhada no Eurides Sant’Anna potencializará a qualidade do ensino e a disciplina dos estudantes dentro e fora das salas de aula”, destacou Zito Barbosa.

A gestão compartilhada do Colégio já foi debatida com a comunidade escolar e aprovada por unanimidade, a partir disso, a Secretaria de Educação está trabalhando para implantar o modelo cívico-militar, conforme os moldes estabelecidos pelo Governo Federal para o ano letivo de 2020.  A medida beneficiará mais de 800 alunos.

“Não tenho dúvidas de que a medida veio para dar um salto na qualidade do ensino com a colaboração da Polícia Militar, sempre contamos com um suporte muito bom nas escolas por meio da 83ª e 84ª CIPM. Durante o processo de matrículas, também orientaremos os pais e responsáveis sobre as adequações que serão feitas na rotina escolar”, disse a secretária de educação, Cátia Alencar.

 Barreiras passa a ser o 56º município do estado a adotar a gestão compartilhada para educação no ensino regular fundamental II. Segundo o Coronel Osival, a corporação está investindo na seleção dos militares com o perfil para atender as demandas da gestão compartilhada. “Estamos trabalhando para atender esse público da melhor maneira possível, investindo em cursos como libras e trato de ocorrências com jovens autistas, dentre outros. É um desafio muito grande que vai exigir habilidade e um perfil diferenciado do militar, mas estamos à disposição da gestão para atender dentro das nossas possibilidades”, comentou o comandante do CPRO.

  • Compartilhe:

Publicidade