CARDEAL CHILENO ACUSADO DE ACOBERTAR ABUSOS RENUNCIA A ‘C9’

17 de nov de 2018

Francisco Javier Errazuriz trabalhava para reformar a Cúria

“Depois de cinco anos, este é o período em que fui nomeado para o Conselho de Cardeais representando a América do Sul, fui a Roma para saudar o Papa e lhe agradecer pela tarefa gratificante que me confiou para reformar a Cúria Romana”, disse o arcebispo emérito de Santiago de Chile.

Errazuriz, que visitou o Vaticano no último fim de semana e se reuniu com o líder da Igreja Católica, não chegou a participar da última reunião do C9 em setembro passado. A saída do chileno deve ser oficialmente anunciada na próxima reunião de cardeais, marcada para os dias 10, 11 e 12 de dezembro.

Francisco Javier Errazuriz, colaborador próximo de Francisco, é acusado de acobertar crimes de pedofilia na Igreja chilena. A crise no país começou em decorrência de denúncias realizadas por vítimas do padre Fernando Karadima, já condenado pelo Vaticano por abuso sexual contra menores. O caso gerou a renúncia coletiva dos membros do episcopado chileno. (ANSA)

MURAL DO OESTE /  Com Notícias ao Minuto

  • Compartilhe:

Publicidade