EDUARDO CUNHA E HENRIQUE ALVES PEDEM PARA NÃO SEREM LEVADOS CHACOALHANDO EM CAMBURÃO

19 de jan de 2018

Os advogados do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e do ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, pediram a suspeição do juiz da 14ª Vara Federal de Natal, Francisco Eduardo Guimarães Farias, de acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo. Numa fala contundente, o magistrado chegou a responsabilizá-los, durante uma audiência, pelas mazelas do sistema carcerário.

Segundo a publicação, o juiz atendia a um pedido de Cunha, para não ser transportado chacoalhando num camburão. Disse que de fato ninguém merecia ser submetido às mazelas do sistema, que seria o que é por culpa também dos dois políticos, que superfaturaram obras.

Ainda de acordo com a colunista, o juiz, ao argumentar, citou o cantor Cazuza: “Sua piscina está cheia de ratos. Suas ideias não correspondem aos fatos”, disse. Os advogados protestaram. Na mesma audiência, o advogado de Alves, Marcelo Leal, chegou a pedir a desativação dos camburões no país.

Cunha foi preso em outubro de 2016 por outra investigação relacionada à Lava Jato onde ele é acusado de receber propina de contrato de exploração de Petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.

Henrique Alves foi preso em junho de 2017 em operação da Polícia Federal, também desdobramento da Lava Jato, que investigou corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal (RN).

 

Via: Bocão News

  • Compartilhe:

Publicidade