ZITO BARBOSA ESCOLHEU O LADO EM QUE SE SENTE MELHOR. SE ACERTOU OU ERROU, SÃO OUTROS QUINHENTOS

18 de abr de 2018

Roberto de Sena

Mural do Oeste

Estou, neste momento em Salvador, na Assembleia Legislativa da Bahia, percorri vários gabinetes dos deputados da oposição e todos comemoram a notícia de que o prefeito de Barreiras, Zito Barbosa, fica no Dem, e, além disso, vai ser  coordenador da campanha de Zé Ronaldo no Oeste Baiano. Os parlamentares oposicionistas consideram essa a melhor notícia que receberam nos últimos tempos já que todos ainda sentem o impacto da desistência de ACM Neto.

Percebe-se pelos semblantes alegres e pela cara de alívio, que havia na oposição um temor real de que Zito se desfiliasse do Dem e fosse para o PSD de Otto Alencar e passasse a fazer parte da base de Rui Costa. Esses rumores circularam com intensidade na imprensa de Barreiras e fizeram eco aqui na capital baiana. Se Zito mudasse de lado seria uma pancada forte na candidatura da oposição. Por tudo isso dá para imaginar que  a permanência de Zito no Dem é um respiro e tanto para à candidatura de Zé Ronaldo.

Até onde se sabe, o prefeito Zito Barbosa teria mesmo cogitado ir para a base governista depois da desistência de ACM Neto. Há quem afirme – eu não o ouvi dizer isso – que ele teria dito que gosta muito de Rui Costa e que, se Neto não fosse candidato, ele iria para PSD onde já estão seu irmão Demir Barbosa (Secretário de Desenvolvimento Urbano) e Jusmari Oliveira, que foi uma das suas principais aliadas na campanha eleitoral de 2016, tendo carreado muitos votos para a vitória de Zito em Barreiras, naquele pleito.

Pois bem,

Neto, como se sabe, desistiu, o PSD aguardava Zito de braços abertos. O prefeito de Barreiras, no entanto, optou por puxar o freio de mão e ficar onde sempre esteve. E por qual razão teria tomado esta decisão? Faz muito tempo que não converso com o prefeito de Barreiras, deve ter aproximadamente uns oito meses, se não me falha a memória, mas acredito que o gestor não se sentiu confortável tendo que dividir o palanque com vários adversários políticos e, no final das contas, quando as urnas fossem abertas, todo mundo seria dono dos votos. Fui informado ainda que Zito até não via muitos problemas em ficar no mesmo palanque de Antonio Henrique mas que a sua restrição maior seria com relação a Tito por este ter assumido  uma postura de oposição de forma mais dura e direta. Não posso afirmar com todas as letras se  isso  determinou a decisão de Zito mas pode ter pesado na hora da escolha final. É só um palpite.

O que eu  acho que mais pesou na decisão foi o histórico de Zito Barbosa: basta puxar os fios do tempo para saber que ele entrou na política no grupo do saudoso senador Antonio Carlos Magalhães e, quando este faleceu, Barbosa permaneceu fiel as suas origens. Seguiu fazendo politica com Paulo Souto e, agora, mais recentemente, com ACM Neto que tem sido o seu grande mentor até nas decisões da gestão municipal. Neto inclusive participou da campanha de  Barbosa aparecendo por diversas vezes no horário eleitoral de TV e Rádio. Como se não bastasse tudo isso, Zé Ronaldo é próximo de Zito, tem inclusive vínculos de amizade. Desde sempre estão no mesmo lado, falam a mesma língua até mesmo do ponto de vista ideológico. Ou seja: na campanha de Zé Ronaldo, Zito se sentirá em casa.

O prefeito de Barreiras agora fica senhor absoluto do palanque oposicionista na condição de coordenador da campanha de Zé Ronaldo no Oeste Baiano. Terá uma campanha a sua feição para dar uma excelente votação ao ex-prefeito de Feira de Santana. A responsabilidade não é pequena pois, do outro lado, está Rui Costa, um dos governadores mais bem avaliados do Brasil, tendo em seu palanque grandes nomes da política de Barreiras e da região como é o caso de Antonio Henrique, Jusmari, Demir Barbosa, Tito, entre outros.

Zé Ronaldo, que estava praticamente sem palanque em Barreiras agora tem palanque forte. Foi um bom avanço da oposição, não tenham dúvida.

E ai você que está lendo pode perguntar: Zito errou ou acertou ao tomar esta decisão? Respondo da seguinte forma: O prefeito de Barreiras escolheu o lado em que ele sempre esteve, onde tem seus amigos e onde se sente melhor. Se acertou ou errou, só o tempo e as urnas vão dizer. Isso só saberemos em outubro.

  • Compartilhe:

Publicidade