SUPERMERCADO MARABÁ E OS DEMAIS AINDA NÃO SE MANIFESTARAM SOBRE APREENSÃO DE CARNE IMPRÓPRIA PARA O CONSUMO.

27 de abr de 2021

 

Repercute bastante em Barreiras e na região, a Operação coordenada pelo Ministério Público da Bahia, com a participação da ADAB, Vigilância Sanitária Municipal, Procon, Ibametro, Secretaria de Agricultura de Barreiras, tendo o apoio da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal de Barreiras, que flagrou nos supermercados Marabá, Safra e Igacenter, carnes sem condições para o consumo humano. Registre-se que estamos em plena Pandemia, quando as condições sanitárias dos produtos devem ser rigorosamente preservadas para não agravar ainda mais a situação caótica da saúde pública em que estamos vivendo. Foram 2,5 toneladas de carne apreendidas. Não é pouca coisa. Estranha-se que até o momento, o mercado Marabá – ligado a família do prefeito de Luís Eduardo Magalhães, Junior Marabá, não se pronunciou sobre o assunto e nem os demais estabelecimentos alvos da operação. Está na hora de dizer alguma coisa sobre o fato dado a sua gravidade. Em qualquer momento que fosse flagrada a venda de produtos impróprios para consumo, tal fato já seria totalmente repudiável, em tempos de Pandemia, onde os hospitais estão lotados, em que as pessoas estão morrendo a todo momento, vender carne impróprias para o consumo humano – conforme constatou a Operação – beira as raias da insanidade. Os produtos foram apreendidos e encaminhados para a destruição. A população de Barreiras e do Oeste Baiano aguarda agora os desdobramentos judiciais do caso e espera que os responsáveis pelo fato sejam punidos na forma da lei. O povo não pode continuar sendo vítima dessa desumanidade em momento algum e, principalmente, agora nestes desesperados tempos de Pandemia. A operação foi realizada nesta sexta-feira  (23), para combater o comércio irregular de carnes em Barreiras. O assunto continua sendo muito comentado.

  • Compartilhe:

Publicidade