SE LEÃO E CACÁ ROMPEREM COM RUI A GEOGRAFIA POLITICA DO OESTE BAIANO SOFRERÁ FORTES MUDANÇAS

24 de nov de 2017

Roberto de Sena

Editor do Mural do Oeste

 

A imprensa da capital noticiou nesta sexta-feira, 24 de novembro, que o vice-governador João Leão estaria sendo convencido pelo seu filho, o deputado federal Cacá Leão, a romper com o governador Rui Costa e entrar de malas e bagagens no grupo do prefeito ACM Neto, provável pré-candidato ao governo da Bahia. O ex-governador Jaques Wagner sentiu o perigo, tentou minimizar e disse que Leão tem prestígio e deve ser mantido na chapa majoritária de Rui.

A noticia de um possível rompimento de Leão com Rui Costa alvoraçou os meios políticos do Oeste Baiano.

Se isso ocorrer a geografia política da região muda completamente.

A começar por Barreiras, a capital do Oeste. Hoje, ACM Neto conta na cidade com o apoio do prefeito Zito Barbosa. Praticamente todas as demais lideranças de peso estão na base de Rui. Jusmari Oliveira, que é secretária de Estado, o ex-prefeito Antonio Henrique, boa parte dos vereadores e o empresário e líder político Moisés. Isso sem falar em Carlos Tito visto que, ainda não se sabe, oficialmente, que posição ele tomará na disputa eleitoral do ano que vem.

Caso Leão rompa o cenário se inverte completamente.

O ex-prefeito Zito Barbosa  e o ex-prefeito Antonio Henrique ficam no mesmo palanque de ACM Neto. Muda tudo, inclusive com impacto no futuro político de Barreiras.

Alem disso, o quadro mudaria, radicalmente, também em diversas cidades da região onde prefeitos seguem a liderança do vice-governador João Leão. Alguns exemplos: São Desidério, Santa Rita de Cássia, Formosa do Rio Preto, Santana, Santa Maria da Vitória, Cotegipe, Wanderley, São Felix do Coribe, entre outras, deixariam de apoiar Rui Costa e passariam a apoiar ACM Neto.

Seria um golpe duro para o atual governador na região Oeste.

O imbróglio entre Leão e Rui estaria acontecendo por conta da briga por espaço político na chapa majoritária e também porque o vice-governador não estaria sendo prestigiado na altura do seu cacife político. Pela menos esta teria sido a opinião de Cacá Leão na imprensa de Salvador. Esta história pode render muito nos próximos dias ou meses mas tudo ainda está no terreno das especulações. De toda forma o estopim foi aceso e Rui Costa corre para jogar água na fervura e tentar impedir que o incêndio se propague e não cause grande estrago em sua base. Já o time de ACM Neto faz justamente o contrário: atiça as brasas para ver o circo pegar fogo no quintal do adversário. Assim são as marchas e contra marchas da batalha eleitoral.

  • Compartilhe:

Publicidade