SALVADOR AMANHECE SEM ÔNIBUS COM GREVE DOS RODOVIÁRIOS

23 de maio de 2018

Greve dos rodoviários teve início no início da madrugada

Desde o primeiro minuto da madrugada desta quarta-feira (23), por conta da greve de rodoviários decretada nesta terça (22), o máximo que o soteropolitano vai encontrar nas ruas de Salvador é metade da frota de ônibus que atende à cidade, de 2,4 mil veículos – e isso em horários de pico. Para não ficar a pé, há alternativas, desde um plano contigencial até transporte por aplicativos. Pela prefeitura, serão cerca de 800 micro-ônibus a R$ 3,70. Ainda há o metrô, que pode aumentar o número de trens e reduzir o intervalo entre as viagens. Mototaxistas, pela primeira vez regulamentados, também estarão a postos, assim como os mais de 7 mil taxistas da cidade, que darão desconto. E ainda há os motoristas de aplicativos como o Uber e o 99 Pop. Na tarde desta terça-feira (22), o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Fábio Mota, anunciaram um plano de contingência que inclui cerca de 800 micro-ônibus para ajudar a transportar soteropolitanos. Do total, 516 são de cooperativas da Região Metropolitana de Salvador, que receberam 35 roteiros ligando os principais corredores da cidade (veja roteiros abaixo). A tarifa vai custar R$ 3,70, porém não valerão gratuidade, meia-passagem, integração com o metrô ou bilhete único. O pagamento da passagem deve ser feito em dinheiro. Os demais são do Sistema de Transporte Complementar (Stec), que continuarão operando nos mesmos roteiros dos dias normais. Vans escolares e de turismo também poderão atuar no transporte urbano, sem roteiros e tarifas definidos pela prefeitura. Segundo o prefeito ACM Neto, o plano de contingência foi montado levando em consideração que haverá 50% dos ônibus regulares circulando nos horários de pico (das 5h às 8h e das 17h às 20h), 30% no restante do dia e a operação dos veículos Stec.

 

Via: Correio*

  • Compartilhe:

Publicidade