RUI COSTA AVALIA ‘RISCO JUTAHY’ APÓS PESQUISA

01 de jun de 2018

O governador Rui Costa (PT) está prestes a tomar uma decisão definitiva sobre a chapa majoritária petista na eleição de 2018. Fontes ligadas ao governo disseram à Tribuna que a definição da majoritária chefe do executivo estadual sairá ou dia 7 ou 8 de junho. Por enquanto, segundo se informa, o vice-governador João Leão (PP) e o ex-ministro Jaques Wagner (PT) estão garantidos. O outro nome, que deverá ser do PSD, ainda gera especulações. A recente pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas acendeu o sinal amarelo ao Palácio de Ondina, ainda segundo essas fontes. O levantamento mostrou o que muitos já esperavam: a esquerda baiana ainda resiste em votar no presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Ângelo Coronel (PSD). Há o entendimento que as chances de o deputado Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) se eleger na segunda vaga à senatoria são reais com a saída da senadora Lídice da Mata (PSB) da chapa. O tucano foi eleito para a Câmara Federal por oito mandatos consecutivos e é um nome conhecido na Bahia, tendo um eleitorado fiel. Em 1994, foi candidato ao governo da Bahia, com apoio do ex-presidente Lula e da então prefeita Lídice, ficando em 3º lugar. Naquele ano, aliás, não apoiou a candidatura presidencial do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, juntando-se a uma parcela do PSDB baiano que decidiu fazer campanha para Lula. Portanto, não é um nome tão distante das esquerdas.

Lídice até chegou a ensaiar uma candidatura independente em janeiro, surfando no suposto vácuo criado pela ausência de um nome ligado à esquerda na segunda vaga. O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, veio a Salvador especialmente para discutir o assunto. Entretanto, segundo a Tribuna apurou, a senadora foi aconselhada a desistir da ideia, uma vez que a agremiação não teria poder financeiro suficiente para peitar sozinho a chapa do governador. O fato é que a pessebista vai disputar a eleição, mas ainda não se decidiu para qual vaga. Por enquanto, até a publicação desta reportagem, a aposta geral é que ela vá mesmo tentar uma cadeira na Câmara Federal. Circula a informação de que ela tem uma reunião agendada com o governador no próximo fim de semana para bater o martelo definitivo sobre o assunto. A outra possibilidade seria ela sair como suplente de Wagner e, posteriormente, assumir o mandato após o ex-governador assumir alguma pasta no governo Rui. A senadora não foi encontrada pela Tribuna para comentar o caso.

 

Via: Tribuna da Bahia

  • Compartilhe:

Publicidade