QUATRO MESES APÓS BOLSONARO PREVER MENOS DE 800 MORTOS PELO CORONAVÍRUS, BRASIL ULTRAPASSA 80 MIL ÓBITOS REGISTRADOS

21 de jul de 2020

Em uma escalada sem perder o fôlego, o novo coronavírus já fez mais de 80 mil mortos no Brasil, cem vezes mais do que previu Jair Bolsonaro. Há quatro meses, numa das muitas vezes em que minimizou a doença, o presidente — que testou positivo há duas semanas — arriscou dizer que as vítimas em território nacional não chegariam a 800. Infelizmente, ele estava errado. Na noite desta segunda-feira, o país chegou à marca de 80.251 óbitos e 2.121.645 de pessoas contaminadas pela Covid-19, segundo o consórcio de veículos de imprensa formado por EXTRA, O Globo, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, com dados das secretarias estaduais de Saúde.

Para chegar ao número “otimista”, Bolsonaro levou em conta as mortes registradas pela influenza A (H1N1) entre os brasileiros ao longo de todo o ano passado. Segundo o Ministério da Saúde, em 2019, foram registrados 3.430 casos de infecção e 796 óbitos em decorrência do vírus. “O número de pessoas que morreram de H1N1 foi mais de 800 pessoas. A previsão é não chegar aí a essa quantidade de óbitos no tocante ao coronavírus”, falou o presidente (e, mesmo assim, confundindo-se na contagem) numa entrevista no dia 22 de março. Naquela ocasião, ele disse ainda que a população estava sendo enganada por governadores e pela imprensa quanto ao avanço da pandemia no país e afirmou: “Brevemente, o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia nesta questão do coronavírus”.

 

Via: EXTRA

  • Compartilhe:

Publicidade