PRODUTOR COMEMORA NASCIMENTO DE BEZERROS POR FERTILIZAÇÃO IN VITRO NO OESTE DA BAHIA

20 de jul de 2018

A ação aconteceu por meio do programa Mais Produtividade, do Sebrae em parceria com o Senar

17/07/18 às 16:00 – Por: Luciane Souza

Barreiras – Visando aumentar a produtividade do seu rebanho leiteiro com animais geneticamente superiores, o produtor rural Antônio Marcos buscou a ajuda do Sebrae, através do programa “Mais Produtividade”, de melhoramento genético. O produtor do município de Barra, Oeste da Bahia, conta que na fazenda Bethsaida2, de que é proprietário há dez anos, ele cria cerca de 100 animais leiteiros que produzem uma média de 70 litros por dia, e que viu na instituição uma oportunidade de elevar a qualidade do seu rebanho.

“Vejo no melhoramento genético um investimento de futuro, de garantia de melhorias”, pontuou. O programa é uma realização do Sebrae em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e vem realizando a fertilização in vitro e também orientando os produtores sobre reprodução, manejo e nutrição do rebanho.

A fertilização in vitro envolve a implantação do embrião com alto potencial leiteiro nas fêmeas receptoras, a fim de multiplicar a quantidade de animais com mais qualidade no rebanho. O programa garante, no mínimo, uma prenhez confirmada das três transferências efetuadas, assegurando que 85% dessas prenhezes sejam de fêmeas. Antônio conta que, em 2017, fez a fertilização em 12 animais, com quatro prenhezes confirmadas, o que animou o produtor a continuar. “Neste ano, fizemos a fertilização in vitro em dez animais, e terei a confirmação das prenhezes em setembro. Pretendo fazer ainda em outros dezoito”, contou.

Ao iniciar o acompanhamento técnico, os resultados já podem ser vistos em curto prazo, visto que a consultoria possibilita que o produtor tenha um olhar mais detalhado com a sua realidade atual e de seus próprios ideais de crescimento. Em longo prazo, o projeto espera que, três anos após o nascimento das bezerras (período máximo), o rebanho de vacas tenha um maior potencial na produtividade de leite. Como consequência, a lucratividade do produtor aumentará.

Leonam Dias, médico veterinário e consultor credenciado pelo Sebrae, acompanha o trabalho na região Oeste do estado e explica que o projeto teve início no ano de 2014 na Bahia, e que existem animais específicos utilizados na fertilização. “São animais da Raça Girolando, nos graus de sangue 1/2, 3/4, 5/8 e 7/8, que são variações de cruzamentos que o produtor pode escolher para seu sistema de produção. Aqui na Bahia, é usada como padrão a raça Girolando, pois é uma raça rústica e produtiva, que se adapta muito bem ao clima tropical”, pontuou.

O médico veterinário destaca ainda que, para a realização do serviço, é preciso ter os animais em condições nutricionais e reprodutivas. “Para cada prenhez contratada, o produtor deve ter, no mínimo, três animais com condições para serem receptoras. Estas receptoras devem estar vazias (sem gestação) e com sistema reprodutivo apto. Deve possuir reservas de alimento em sua propriedade e ter um acompanhamento por um técnico do Senar”, finalizou.

Na região Oeste, cerca de 199 produtores dos municípios de Santana, Serra Dourada, Feira da Mata, Carinhanha, Serra do Ramalho, São Félix do Coribe, Ibotirama, Angical, Santa Maria da Vitória, Wanderley, Catôlandia e Barra já foram atendidos, contabilizando uma média de 581 prenhezes desde que o projeto iniciou.

De acordo com Emerson Cardoso, gerente regional do Sebrae em Barreiras, que atende todo o Oeste da Bahia, os produtores vêm buscando técnicas e práticas para melhorar a rentabilidade e impactar no resultado final do seu empreendimento. “A fertilização in vitro é mais uma iniciativa para levar tecnologia ao homem do campo. Esperamos contribuir com a cadeia produtiva do leite na região e transformar as pequenas propriedades em negócios rentáveis”, finalizou.

O programa

A consultoria para Transferência de Embrião é realizada por empresas credenciadas pelo Sebrae. Cada produtor pode contratar até dez prenhezes, sendo cada uma com três transferências de material, mas, se necessário, poderão ocorrer outras até a garantia da prenhez. Aliado à reprodução, é importante o manejo e nutrição do rebanho, que serão orientados através da assistência técnica do  Senar.

A gestação dura em média nove meses.  O Sebrae viabiliza o subsídio de 70% do valor através do Sebraetec, e caberá ao produtor apenas 30% do custo total, o que representa o valor de R$ 400,50, de R$ 1.385.

Para que o produtor possa obter atendimento pelo Sebrae para esse serviço, é necessário possuir pelo menos um dos seguintes documentos: DAP, NIRF, Inscrição Estadual ou CNPJ. Mais informações sobre o programa podem ser obtidos na sede do Sebrae em Barreiras, que fica na Avenida Benedita Silveira, 118, Edifício Portinari, ou através do telefone (77) 3611-3013.

 

  • Compartilhe:

Publicidade