POESIA – MEUS POETAS E OS TAMBORES DA REBELIÃO

16 de jun de 2019

 

Roberto de Sena

 

Nas noites insones peço ajuda

a Pablo Neruda

 

Nas horas fora do tom

Peço socorro a Drummond

 

Nas noites sem luar

quem me ilumina é Ferreira Gullar

 

Nos dias de precipício

me agarro nos versos de Vinicius

 

Meus poetas me ajudam

a escapar das verdades velhas,

da hipocrisia. do moralismo analfaburro,

da cretinice, do disse-me-disse

dos vendilhões do evangelho

vendendo por muito dinheiro

o que Jesus nunca cobrou

 

Leio meus poetas

pra fugir dessa endemoniada pregação

pra fugir do novo Santo Ofício

da nova Inquisição

Leio meus poetas

rego minhas flores

batendo os tambores

da rebelião

  • Compartilhe:

Publicidade