PISTOLEIROS AMEAÇAM VÍTIMAS DE GRILAGEM NA BAHIA, DIZ PGR

02 de jul de 2020

A subprocuradora Lindôra Araujo pediu hoje ao STJ para manter a prisão de seis pessoas acusadas de negociar sentenças na Bahia na Operação Faroeste. Para sustentar o pedido, apontou risco de vida de agricultores vítimas do esquema de grilagem de terras que se beneficiava das decisões judiciais.

Entre os presos está a desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, do TJ-BA, e o juiz Sérgio Humberto de Quadro Sampaio. O pedido também busca manter a prisão de Adailton Maturino dos Santos, apontado como líder do esquema, e de sua mulher, Geciane Souza; do ex-assessor do TJ Antônio Roque do Nascimento Neves, e do advogado Márcio Duarte Miranda.

“A execução de morte de dois consortes relacionados aos fatos em apuração reafirma o risco que a liberdade deles traz para o sucesso do caso”, diz um trecho do pedido.

 

O Antagonista

  • Compartilhe:

Publicidade