MORRE ALDYR SCHLEE, CRIADOR DA CAMISA AMARELA DA SELEÇÃO BRASILEIRA

16 de nov de 2018

Torcedor do Uruguai, o escritor de 83 anos venceu concurso histórico em 1953

Criador da camisa amarela da Seleção, em 1953, ao vencer um concurso do jornal Correio da Manhã, o escritor Aldyr Garcia Schlee morreu na noite desta quinta-feira, em Pelotas (RS), aos 83 anos. Embora tenha criado o manto canarinho, o gaúcho não escondia a torcida pelo o Uruguai, adversário do Brasil no amistoso desta sexta, no Emirates Stadium, em Londres.
Aldyr havia sido diagnosticado há menos de 15 dias com um câncer que atacou o fígado e parte dos pulmões, e ainda estava realizando exames para saber de seu estado de saúde. Schlee deixa três filhos, Aldyr, Andrey e Sylvia.
Referência em literatura no Rio Grande do Sul, o contista era famoso por ter criado o maior símbolo nacional do país. Nascido em Jaguarão, em 1934, ele nem havia completado 20 anos quando criou o desenho verde-amarelo da camisa da Seleção para  substituir amaldiçoado uniforme branco e azul usado na derrota da Copa de 1950, no Maracanã.
“Fui na agência da Varig, em Pelotas, buscar os jornais do dia. Entre eles, o Correio da Manhã. Na terceira página, vi o meu desenho, com a manchete: esta é a nova camisa do Brasil”, contou em entrevista ao Correio em 2013, na comemoração do aniversário de 60 anos da estreia do novo uniforme, nas Eliminatórias para o Mundial de 1954. Apesar da fama de Pai da Amarelinha, Aldyr passou a ter raiva da camisa da Seleção, como contou em março numa entrevista ao blog Drible de Corpo do Correio Braziliense.
Schlee faria 84 anos no próximo dia 22 e havia  lançado recentemente o último livro, a novela O Outro Lado, uma história de amor entre dois personagens desfavorecidos pela sorte. O sepultamento do escritor será nesta sexta-feira, em Pelotas.
MURAL DO OESTE / Com Correio Braziliense
  • Compartilhe:

Publicidade