ELEIÇÃO MUNICIPAL OU ELEIÇÃO LOCAL – PRÉ-CANDIDATOS A VEREADOR. POR MAGLON RIBEIRO

25 de jun de 2020

 

Por Maglon Ribeiro

Consultor, Especialista em Gestão Estratégica e Marketing Político.

A eleição local que nós conhecemos como eleição municipal tem suas particularidades. É um processo dentro de um contexto de proximidade onde a disputa pelo voto passa a ser pessoa a pessoa, nos municípios pequenos e médios. Os candidatos e seus colaboradores poderão sair às ruas, ou de casa em casa pedindo voto, por meio do contato direto do candidato com o eleitor.

Uma particularidade e importante recurso dessa eleição é a individualização. É uma eleição, e falo aqui dos cargos proporcionais, vereadores, que é decidida pelo vínculo emocional que o candidato mantem com o eleitor, ainda que temporário, ampliando, inclusive o raio de influência daquele contato. Nos municípios médios e pequenos esta prática fica ainda mais evidente o que a torna uma eleição extremamente pessoal. A partir daquele momento de contato pessoal com o eleitor, se nenhum outro candidato chegar nele, com pelo menos igual atenção e consideração, dificilmente o eleitor deixará de votar no candidato com que se encontrou. Vale lembrar que notadamente esta é a forma mais antiga de se fazer campanha, sendo o contato corpo a corpo a principal forma de comunicação com o eleitor.

A proximidade ou individualização nos assegura a possibilidade de acesso fácil à informação sobre o candidato, seja porque o conhecemos ou pelo menos já ouvimos falar, não significando necessariamente uma relação pessoal de amizade entre as partes. Esta é a característica distintiva da eleição local que pauta as ações e decisões de campanha. Esta marca diferencia a eleição local, num município médio ou pequeno, das demais eleições.

Indo para o campo estratégico, o primeiro passo de uma eleição local, é, pois o de compreender os sentimentos, expectativas, os interesses, as prioridades, a imagem desejada, em torno dos quais a disputa pelo voto dos eleitores vai se desenrolar. Não podemos esquecer que essa é a eleição em que o eleitor está mais próximo do seu candidato, além de ter conhecimento direito dos problemas que afetam a sua existência, o que precisa ser feito para melhorar as condições de sua comunidade, e a história pessoal dos candidatos que disputam sua preferência.

Essa condição de proximidade afeta diretamente a natureza da estratégia a ser implementada, da publicidade, do programa de ação e do discurso de campanha, uma vez que restringe o espaço de criação publicitária da imagem do candidato, o que não acontece em municípios maiores. Pois nos municípios menores a imagem do candidato

é semelhante as suas reais características de personalidade, não possibilitando meios de ser trabalhada na criatividade publicitária.

Aqui, no ambiente local eleitor e candidato compartilham da mesma realidade, podendo discutir e propor soluções conjuntamente para os problemas que afetam diretamente a vida de ambos. O político enquanto candidato, num ato de inteligência, pode identificar o sentimento e ou expectativa do eleitor dentro do contexto político, em relação aos problemas de saúde, educação, limpeza, iluminação do município, ou seja trabalhar com a visão da micropolítica, e abraçar uma causa que requer uma ação política, firmando um elo entre sua candidatura e o eleitorado, como defensor dessas prioridades. Quer uma dica? Encontre um problema e proponha resolvê-lo. Aqueles que estão sendo afetados por esse problema serão seus seguidores e certamente

  • Compartilhe:

Publicidade