CORRUPÇÃO NAS ELEIÇÕES DE LEM: COMANDANTE RANGEL DIZ QUE TODAS AS DENÚNCIAS FEITAS POR ELE SERÃO COMPROVADAS PELA JUSTIÇA

26 de nov de 2020

O Comandante Rangel – que foi candidato a prefeito de Luis Eduardo Magalhães nas eleições municipais de 2020, disse ao Mural do Oeste que todas as denúncias de compra de votos feitas por ele serão comprovadas. “Entreguei todas as provas a Justiça Eleitoral, ao Ministério Público e a Polícia Federal, as apurações dos fatos estão apenas começando” disse ele.

Rangel afirmou ser defensor da legalidade, da moralidade e da seriedade na política e  não pode aceitar que uma eleição seja vencida com a utilização de métodos escusos. Durante a campanha, em coletiva de imprensa, Rangel acusou a campanha do então candidato Junior Marabá de ter comprado o seu vice Aldo Dourado por 200 mil reais. Depois disso Aldo desapareceu da cidade e não mais foi localizado. A operação deflagrada pela Polícia Federal localizou nesta quinta-feira, 26  o vice desaparecido que agora terá que contar a sua história. A Operação da PF tem o sugestivo nome de OPERAÇÃO DESERTOR.

De acordo com a imprensa da capital baiana, a Polícia Federal  cumpriu 4 mandados de busca e apreensão, 4 mandados de busca e apreensão de aparelhos celulares e um mandado de prisão preventiva.

As ordens judiciais foram expedidos pelo juízo da 205ª Zona Eleitoral de Luís Eduardo Magalhães e são cumpridos naquela cidade e também em João Dourado.

Durante as investigações, que tiveram início em 12 de novembro, foram revelados indícios de que os envolvidos receberam propostas em dinheiro para abandonarem o partido ao qual pertenciam, com o objetivo de polarizar a disputa eleitoral entre dois candidatos.

O nome da operação, Desertor, faz alusão àquele que abandona suas convicções, seu compromisso ou a causa de que era defensor. Os investigados devem responder pelo crime de corrupção eleitoral, previsto artigo 299 do Código Eleitoral.

Mural do Oeste com informações do Bahia Notícias

  • Compartilhe:

Publicidade