CONSTRUÇÃO DO AEROPORTO DE BOM JESUS DA LAPA E OUTRAS OBRAS AJUDAM A MANTER ECONOMIA BAIANA EM MOVIMENTO

18 de jan de 2021

A manutenção dos investimentos em infraestrutura tem sido uma das principais estratégias do Governo do Estado para continuar levando desenvolvimento para o interior da Bahia e superar os efeitos da pandemia de Covid-19 na economia. Em 2021, a previsão é que obras importantes sejam concluídas em diversas regiões da Bahia e outras iniciadas. São intervenções na infraestrutura e mobilidade, como a construção de aeródromos, pontes e a recuperação e pavimentação de rodovias, que garantem mais oportunidades de emprego e a sobrevivência das atividades econômicas.
Entre as principais obras que serão entregues em 2021, a construção do novo aeroporto de Bom Jesus da Lapa está prevista para ser concluída no segundo semestre. Na região do Rio São Francisco, a cidade se destaca pelo turismo religioso e chega a receber 600 mil romeiros durante a festa de Bom Jesus, entre os meses de julho e agosto. Além disso, o município também é conhecido pela produção de frutas e o aeroporto deve servir para escoar parte da produção, principalmente aquela voltada à exportação.
Dono de uma pousada na região, Astor Santana, acredita que a obra vai ser muito importante para o desenvolvimento local. “Certamente vai ter um impacto muito interessante em nossa economia, tanto para Bom Jesus da Lapa quanto para toda região. Facilitará a entrada de visitantes, o que a gente precisa muito, e a saída de mercadorias”, afirma.
O novo equipamento aeroportuário terá capacidade de receber aeronaves com até 70 passageiros. Nessa primeira fase será implantada a pista de pouso e decolagem, o taxiway, o pátio de estacionamento de aeronaves e a cerca patrimonial. O investimento é de aproximadamente R$ 20 milhões. A expectativa também é que a obra atraia o interesse de novos investimentos em energia renováveis no município, que já possui oito empreendimentos em operação comercial para geração de energia elétrica a partir da fonte fotovoltaica.
Para o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti, as obras ajudam a superar um dos principais problemas que o Brasil enfrenta que é a logística de transporte. “Aumentam a competitividade da Bahia em todos os setores econômicos. Isso possibilita que os produtos que produzimos sejam exportados e comercializados, e que os produtos que precisamos cheguem em todas as cidades. Além disso, são obras fundamentais para o desenvolvimento social, muitas dão acesso a distritos e cidades que nunca tiveram suas estradas asfaltadas. É o resgate da dignidade do cidadão que mora no interior do Estado”, destaca.
Mais entregas
Outras duas intervenções que também serão entregues este ano e terão um grande impacto na economia baiana são a Ponte Barra-Xique-Xique, que irá permitir a ligação entre a região de Irecê com o oeste da Bahia, e o Aeroporto de Senhor do Bonfim, na região do Piemonte Norte do Itapicuru.
A ponte, que está com mais de 50% de conclusão, vai tornar a travessia entre as cidades mais segura. O Consórcio Estrada do Feijão, que está executando a obra, está realizando a etapa de implantação dos pilares e lançamento de vigas, e a previsão é que seja concluída no segundo semestre de 2021. O investimento é de R$ 133 milhões.
Já o Aeroporto de Senhor do Bonfim receberá voos de médio e pequeno porte. Nesta etapa da obra será implantada a pista de pouso e decolagem, o pátio de estacionamento de aeronaves, o taxiway, o estacionamento de veículos e as vias de acesso no local. A previsão de conclusão é junho de 2021. A estrutura permitirá ao aeródromo receber aeronaves como UTIs aéreas e de transporte de medicamentos e também de valores. O equipamento terá uma área de 1,4 milhão de metros quadrados. O investimento é de R$ 20 milhões.
Novos investimentos
Além das obras que serão entregues, diversas outras serão iniciadas em 2021, como a recuperação dos 97,7 quilômetros da BA-131, entre Senhor do Bonfim, Antônio Gonçalves, Pindobaçu, Saúde e Caém, que deve começar ainda no mês de janeiro. Os serviços vão atender mais de 214 mil moradores do centro norte baiano. As atividades econômicas como a agricultura, a apicultura e a extração de minério serão contempladas com o trabalho na rodovia. O investimento é de R$ 35 milhões.
A BA-001 é a principal via de acesso para quem segue em direção as regiões da Costa do Cacau e da Costa do Dendê. Os 118 quilômetros da rodovia entre Valença e Itacaré, passando por Camamu, vão ser recuperados pela Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra), por meio do Programa de Recuperação e Manutenção de Estradas (Premar), com investimento R$ 50 milhões.
A BA-283, entre Itabela e Guaratinga, vai passar por restauração em 27,3 quilômetros de rodovia na região da Costa do Descobrimento. Os serviços atenderão aproximadamente 164 mil moradores de Itabela, Guaratinga e Eunápolis. A restauração da rodovia também vai beneficiar o escoamento da produção agropecuária local. A ordem de serviço será assinada ainda em janeiro. O investimento é de R$ 8 milhões.
Os 39,6 quilômetros da BA-233, que liga o entroncamento da BR-110 a Sátiro Dias, também vão passar por restauração. A rodovia faz a interligação entre os municípios de Sátiro Dias e Inhambupe na região do Litoral Norte e Agreste Baiano. A recuperação do trecho irá ajudar no escoamento da produção agrícola local, principalmente do feijão, do milho e da melancia, e no desenvolvimento do setor de comércios e serviços. A assinatura da ordem de serviço tem a previsão de sair neste mês de janeiro. O investimento é de R$ 10 milhões.

Os 20 quilômetros do acesso a Rio do Pires, na BA-152, vão passar por restauração. A obra na rodovia baiana será feita no trecho entre o município da região da Bacia do Paramirim e o entroncamento da BA-156. Os serviços atenderão mais de 85 mil moradores de Rio de Pires, Macaúbas, Ibipitanga e Caturama. A rodovia faz a ligação de Rio de Pires com os municípios de Macaúbas, Ibipitanga e Caturama. A recuperação da via ajudará no escoamento da produção agrícola na região. A autorização para o início das obras deve ser assinada ainda no primeiro trimestre.

  • Compartilhe:

Publicidade