CONHEÇA SEMENTE, COMPOSITORA E CANTADEIRA BARREIRENSE QUE IRÁ SE APRESENTAR NA 1ª EDIÇÃO DO PROJETO OESTE CANTA

17 de nov de 2017

 

”Me chamo Fernanda Ellen Lucena dos Santos, na capoeira virei Semente. Tenho hoje 21 anos. Sou barreirense e riachoense, com orgulho de ser. Sou a filha querida de Oxóssi com Oxum, a força das matas e das águas doces, do velho oeste da nossa Bahia. Pela UFOB, sou Bacharela Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia. Desde 2015, faço parte do grupo de capoeira antiga Quilombo Angola, alí também na UFOB, orientado pelo prof Éder Medeiros e pelo tradicional mestre da cultura viva da Capoeira Angola e do Samba de Roda da Bahia, Mestre Olavo Perri. Graças a influência deles, eu percebi o valor que isso tem e tomei gosto por cantar músicas tradicionais, que trazem em sua raiz o poder, a alegria e a fé dos guerreiros e guerreiras ancestrais, seres humanos fortes que deixaram para nós uma rica herança de exemplos e ensinamentos sobre o viver a vida em plenitude, confiança e liberdade integral do ser. Ao meu ver, essa cultura popular é mesmo uma fonte de vida e todo aquele que dela beber, mais cedo ou mais tarde, se despertará para uma consciência humana transformadora no planeta. Sou uma cabocla abençoada! E tenho a honra de ter como mestra na arte da revolução, a socióloga Elane Correia, que no projeto “CAFÉ DA UFOB: dois dedos de prosa”, me ensina amorosamente como tecer uma unidade entre os saberes científicos e tradicionais, sob o tom da harmonia artística, para que possamos assim pensar a vida e a sociedade atual sensivelmente, num profundo enlace entre a razão e a emoção, entre o gostar de dizer “sim” e o saber falar o “não”. Sou menina arteira, compositora e cantadeira. Canto pra me reencantar todos os dias e encantar os desencantados. O que componho são linhas tecidas pela sabedoria infinita que vive dentro de mim, por ser humana, por ser mulher, por ser sagrada e por ter muita fé na vida. Sou o velho no novo. Um elo na corrente histórica de um povo que mistura dor e alegria e faz da luta pela própria existência uma obra de arte, uma verdadeira poesia. Sou a natureza viva que pulsa e contagia! Sou semente e semeadora da esperança em um mundo novo, onde há saúde e alegria em abundância para todos e todas aqui na Terra. Sou Ela. Sou a própria Terra. E você também é. Axé!”

  • Compartilhe:

Publicidade