CONHEÇA O SISTEMA CAMPO LIMPO, QUE REALIZA A LOGÍSTICA REVERSA DE EMBALAGENS VAZIAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS NO BRASIL

30 de dez de 2020

O Sistema Campo Limpo é a denominação do programa gerenciado pelo (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil. Abrangendo todas as regiões do país, o Sistema tem como base o conceito de responsabilidade compartilhada entre agricultores, indústria, canais de distribuição e poder público, conforme determinações legais, o que tem garantido seu sucesso.

Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef) em 1999 indicava que 50% das embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil naquela época eram doadas ou vendidas sem qualquer controle; 25% tinham como destino a queima a céu aberto, 10% eram armazenadas ao relento e 15% eram simplesmente abandonadas no campo.

A partir de 2002, porém, quando o Sistema Campo Limpo entrou em funcionamento, a maior parte dessas embalagens passou a ter destinação correta – uma soma que, desde então, já ultrapassou 200 mil toneladas. Hoje, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total de embalagens vazias de defensivos agrícolas que são comercializadas têm destino certo. Podem ser encaminhadas para reciclagem 95% das embalagens colocadas no mercado, desde que tenham sido corretamente lavadas no momento de uso do produto no campo. As embalagens não laváveis (cerca de 5% do total) e aquelas que não foram devidamente lavadas pelos agricultores são encaminhadas a incineradores credenciados. Esses índices transformaram o Brasil em líder e referência mundial no assunto. Em segundo lugar vem a França, com 77%, seguida pelo Canadá, com 73%. Os Estados Unidos vêm em 9º lugar, com 33%.

ACIAGRI

Atualmente, a Aciagri gerencia três centrais de Sistema Campo Limpo nos municípios de Barreiras – considerada a maior do país em volume processado, Roda Velha (São Desidério) e Rosário (Correntina) – terceira maior do nordeste do país. Além disso, gerencia outros três postos localizados estrategicamente nas regiões agrícolas da Coaceral, Panambi e Campo Grande, recolhendo mais de 3 mil toneladas de embalagens por ano, o que representa cerca de 90% de todo o material recolhido na região nordeste do país.

Para atender os pequenos produtores rurais e pecuaristas, a Aciagri conta ainda com o projeto de coleta itinerante, realizado duas vezes ao ano. A iniciativa beneficia àqueles produtores que enfrentam dificuldades no armazenamento das embalagens nas propriedades e no transporte até os postos de recolhimento ou centrais. A ação conta com o apoio da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB) com a locação de caminhão coletor e das secretarias municipais de agricultura e meio ambiente na divulgação e mobilização do projeto entre os agricultores. Hoje, a coleta itinerante atende principalmente produtores dos municípios do Vale do Rio Grande (Angical, Baianópolis, Muquém de São Francisco, Wanderlei e nos perímetros irrigados de Barreiras).

  • Compartilhe:

Publicidade