BOLSONARO QUER EXPULSÃO DE DAYANE PIMENTEL DO PSL PARA RETORNAR AO PARTIDO

01 de set de 2020

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria condicionado o retorno ao PSL a expulsão de alguns quadros da legenda, informa, na manhã desta terça-feira (1°), o jornal O Globo.

Foram cinco os nomes que o presidente, por meio de intermediários, avisou que quer ver fora do partido, se decidir retornar. Entre eles está o da deputada federal pela Bahia e presidente do partido no estado, Dayane Pimentel.

A lista também inclui os parlamentares Joice Hasselmann, Júnior Bozzella, Nereu Crispim e o senador Major Olímpio.

Autoproclamada “deputada federal de Jair Bolsonaro na Bahia” nas eleições de 2018, Dayane Pimentel rompeu com Bolsonaro em outubro de 2019 ao não aceitar a articulação do presidente de indicar o filho Eduardo Bolsonaro para assumir a liderança do PSL na Câmara.

Procurada pelo Bahia Notícias, Dayane Pimentel declarou que blindará o PSL de quem quer tomar o partido à força.

“Seria interessante se a nota viesse com aspas do próprio Bolsonaro. Como só veio de forma especulativa, acho apenas engraçado. Mas aproveito a oportunidade para reafirmar que não sou uma simples correligionária do PSL, sou uma das peças que o blinda das garras dos que querem tomá-lo à força. Estarei aqui para blindar novamente se preciso for e isso talvez incomode os planos de quem vive com a intenção de desestabilizar o partido”, declarou a parlamentar feirense.

A assessoria da parlamentar ainda cita que a lista de Bolsonaro não é a primeira a circular na imprensa, mas a primeira em que consta o nome da presidente do PSL na Bahia.

RETORNO DE BOLSONARO

O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, quer que o presidente Jair Bolsonaro desista de criar o Aliança pelo Brasil para aceitá-lo de volta no partido. O presidente da República admitiu que cogita voltar à sigla onde se elegeu depois que a formulação do Aliança se mostrou inviável até 2022.

Dentro da ala que resiste ao retorno, o líder do PSL no Senado, Major Olímpio, declarou que é mais fácil o partido aceitar a filiação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do que aceitar de volta o presidente Jair Bolsonaro.

  • Compartilhe:

Publicidade