BARREIRAS: REFLEXÃO DE CARMÉLIA DA MATA SOBRE O ASSASSINATO DA VEREADORA MARIELLE NO RIO DE JANEIRO

16 de mar de 2018

RIO DE JANEIRO, RJ – 25.05.2017: VEREADORA DO PSOL MARIELLE FRANCO – Vereadora do PSOL, Marielle Franco em seu gabinete. (Foto: Rodrigo Chadí /Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 1498832

Esta semana foi de reflexões. Pensei muito nas fraquezas humanas, na intolerância e principalmente na despedida trágica de Marielle Franco, vereadora do RJ pelo PSOL que foi assassinada.

Marielle era negra, Marielle era defensora da periferia, era também feminista. Foi a quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro pq de fato, representa quem a elegeu (e muitas outras tbm).
Lutou sempre pelas minorias, contra o genocídio, feminicidio, pelo direito da mulher, lutou pra mover, modificar essa estrutura social que nos extermina.

Ela foi na verdade exterminada, executada porque tinha opinião, tinha pulso e não fugia a luta. Ela acreditava na mudança, e morreu por denunciar um comando de morte.

É preciso analisar e refletir que a morte dela não foi assalto, não foi engano, não foi por acaso: foi um recado!

Mas também deixamos o nosso recado: não vamos esquecer, não vamos nos calar, não vamos enfraquecer!
Muito pelo contrário, estamos armadas de corpo e alma para a luta diária contra a repressão social, o machismo e achismo.

Seguimos firmes e fortes !

#justiçaparaMarielle #naovamosnoscalar Carmélia da Mata

  • Compartilhe:

Publicidade