BARREIRAS: PARA O PRESIDENTE DA CÂMARA, NOVO CÓDIGO TRIBUTÁRIO PODERIA TER UMA ANÁLISE MAIS APROFUNDADA ANTES DE SER VOTADO

19 de fev de 2018

 

O presidente da Câmara, Gilson Rodrigues, em entrevista concedida ao jornalista Osmar Ribeiro, do Fala Barreiras, admitiu que o novo Código Tributário que sacudiu a sociedade barreirense, foi votado sem uma análise aprofundada e que os parlamentares e suas comissões técnicas também poderiam ter visto as distorções e feito as devidas correções. Gilson cita também a Prefeitura de Barreiras que, segundo ele, teve 7 meses para construir o Projeto. Leia abaixo o que disse Gilson Rodrigues ao Fala Barreiras.

“DISTORÇÕES INVISÍVEIS” – Segundo o presidente da Câmara de Vereadores de Barreiras, Gilson Rodrigues, o novo código tributário poderia ter tido uma análise mais aprofundada, ser debatido mais intensamente com a CDL, poderia, inclusive, ter seguido para o Poder Legislativo com as devidas correções feitas pelo próprio Poder Executivo, que teve 7 meses para construir tal projeto de lei: “Quando as comissões dão os pareceres sobre a matéria, só me resta fazer o processo legislativo andar, é o que me impõe a lei. Tenho que ser imparcial independente da matéria. Contudo, a matéria chegou aqui com essas distorções, e as comissões não perceberam, dando o parecer mesmo assim. E infelizmente, depois que o plenário aprova a matéria, que ela vai para a sua aplicabilidade, é que enxergamos as distorções”.

Ainda segundo Gilson Rodrigues, os parlamentares e suas comissões técnicas também poderiam ter visto essas distorções, se tivesse tido audiência, um debate maior, consultado técnicos etc. “Não chegou à Casa, na mesa diretora, nenhum pedido de análise dessa matéria, de nenhuma comissão, de nenhum vereador”, apontou o presidente da Câmara.

  • Compartilhe:

Publicidade