BARREIRAS: HOMENAGEM A MEMÓRIA DE CLÁUDIO WANDERLEY

11 de nov de 2020

 

Morreu nesta segunda-feira (09), o membro da Academia Barreirense de Letras (ABL), Claudio Wanderley de Carvalho, de 84 anos. Ele estava internado no Hospital do Oeste desde a semana passada depois de sofrer mais um acidente vascular cerebral isquêmico (AVC).

Cláudio Wanderley era poeta, escritor e compositor. Ganhou o Festival da Canção Barreirense no ano de 1985 com a composição As Chuvas Chegaram, em parceria com os filhos Rivelino e Martiniano e com Otacílio de Luna. É dele também a música O Canto do Lavrador. Ele deixou escrito o livro Costumes e Acostumados, que será lançado em breve com curadoria do filho Martiniano de Carvalho. Escreveu também o badalado livro Breve Memórias da Terra do Já Teve, que rendeu comentários nos meios artístico, social e político de Barreiras.

O corpo está sendo velado na residência da família, em frente à praça Duque de Caxias (do Coreto), nº 79, no Centro Histórico e o sepultamento está previsto para amanhã, às 9h no cemitério São João Batista.

Trajetória de Claudio

Claudio era visto como um vetor da cultura nas décadas de 70 e 80, e inspirou a juventude destas épocas com os seus poemas e conversas ao fim de tarde à sombra das árvores do cais do porto e do coreto da Praça Duque de Caxias.

Além de escritor e músico, Cláudio Wanderley, também foi vereador de Barreiras na Legislatura 1973/1976. Era membro da Academia Barreirense de Letras. Cláudio Wanderley deixa um legado e uma grande lacuna para todas as gerações que conviveram ou conheceram os seus ‘costumes e se acostumaram’ com o jeito de ser do homem que escolheu ser barreirense por amor, cantando em prosa e versos ruas, praças e povos que povoaram e povoam a cidade que escolheu como sua para viver.

MAIS OESTE

  • Compartilhe:

Publicidade