BARREIRAS: COM INVESTIMENTOS EM TURISMO, COMUNIDADES DO RIO DE ONDAS PODEM SE TRANSFORMAR EM NOVO VALE DO CAPÃO

01 de fev de 2021

 

 

Reportagem e fotos do Mural do Oeste

Além da já tão conhecida beleza do Rio de Ondas, as comunidades do Val da Boa Esperança, Gentio, Maia do Jatobá, Mucambinho, Forquilha do Rio. Sucuriu, Boca do Gerais, entre outras podem se transformar em uma nova alternativa de turismo para região, gerando emprego, renda e mudando a vida dos moradores. O Lugar é belíssimo e oferece nascentes repletas de buritizais, muitas árvores nativas, animais, pássaros, trilhas, pequenas cachoeiras, riachos e uma infinidade de paisagens belas que vão se descortinando uma atrás da outra de deixar o turista tonto de tanta beleza.

Este cenário, caso as autoridades de Barreiras resolvam investir, pode se transformar em uma espécie de novo Vale do Capão, bela comunidade da Chapada Diamantina que atrai pessoas de todas as partes do mundo e gera emprego e renda para o povo que vive em condições muito mais tranquilas financeiramente e até do ponto de vista de formação cultural.

O primeiro passo está sendo dado com o asfalto que vem sendo feito pelo prefeito Zito Barbosa e que, segundo informações extra-oficiais, deve chegar até a ponte do Val da Boa Esperança. Se isso se confirmar será um avanço e tanto para os moradores. A estratégia seguinte seria trazer comitivas de turistas de cidades brasileiras e também do exterior para conhecer o potencial desta região. Existe em várias partes pessoas buscando recantos de sossego, paz, tranquilidade e que estão correndo do burburinho da cidade grande. Querem distância da agitação.  Esse é o público alvo de um projeto desta envergadura.

Ainda se falando de estrategia para atrair esse perfil de turista, poderia também ser construído um mercado onde se vendesse artesanato com material feito de buriti, roupas com fotos das paisagens do lugar, comidas típicas, espécie nativas como o Ingá, Pequi, Jatobá, Buriti, Mandioca, entre tantas outras.

Vale lembrar que na localidade já se serve uma das melhores galinhas caipiras de Barreiras, além de contar também com uma floricultura que oferece frutos nativos e exóticos, tudo isso implantado com empreendedorismo de moradores, sem nenhum incentivo de nenhuma esfera governamental.  Os nativos sobrevivem do extrativismo vegetal de forma consciente e sustentável. Na localidade também já existe uma pequena marcenaria que produz bancos, sofás e camas feitos de buriti, que são colhidos secos na mata nativa, e que são vendidos para os poucos turistas de Brasilia, Goiânia, Piaui, Tocantins entre outros estados que já começaram, sem qualquer campanha a frequentar o lugar em busca de tranquilidade.

O roteiro turístico  poderia incluir uma área vasta como Cachoeira do Acaba Vidas, Redondo, Cachoeira do Estrondo, Sítio do Rio Grande, Lagoa Azul, indo até Correntina, lugares de grande beleza.

A região foi presenteada com um cenário paradisíaco, resta aos gestores olharem com carinho para este setor que tem sustentando a economia em diversas partes do mundo.

Além disso o lugar é especialmente propício para pequenas pousadas, férias, retiros, etc. Possui trilhas, caminhos floridos, árvores espetaculares e outros atrativos.Podendo ter além de pousadas, clínicas de massoterapia, meditação, ioga, entre outras modalidades para tirar o estress. Paralelo a isso pode se formar  equipes de guias turísticos para atender o público aproveitando a mão de obra do lugar e proporcionando emprego para muitos pais e mães de família. É uma grande alternativa para a economia de Barreiras. É só as autoridades acreditarem no potencial desta região. Vamos colocar a ideia em prática?

Com a palavra as autoridades.

  • Compartilhe:

Publicidade