ACM NETO FAZ ATAQUE TRIPLO E RUI, OTTO E WAGNER REBATEM

23 de dez de 2017

O prefeito ACM Neto (DEM) aproveitou a participação no programa da Radio Metrópole desta sexta-feira, 22, para fazer um ataque triplo. Ao comentar o imbróglio sobre o empréstimo do Banco do Brasil ao governo estadual, o democrata disse que o governador Rui Costa (PT) “ficou choramingando procurando culpados e desculpas”. “Sequer teve a capacidade de recuperar as estradas com recursos do governo como eu fiz. O gestor que não tem medo, não fica de conversinha para cá e para lá. ‘Ah não fiz porque fulano não me ajudou’. Se eu ficasse nessa, não tinha feito nada na Prefeitura. Em 98% do primeiro mandato as obras foram do município. Não tive apoio nem do Estado, nem do governo federal”, afirmou.

Neto ainda disse que “a Bahia precisa de menos propaganda e menos discurso”. Sobre a declaração de Neto, Rui disparou que “o debate eu vou fazer com quem tiver coragem de ser candidato no momento adequado, no momento da eleição. Eu não vou antecipar debate eleitoral. Quem tiver coragem de sair candidato a governador, a senador, no momento adequado vou fazer o debate e vou comparar, inclusive propaganda. Quem gasta mais com propaganda, onde quem bota mais dinheiro de propaganda. Vamos comparar tudo”.

Ainda sobre o empréstimo do BB, Neto rebateu a acusação do senador Otto Alencar (PSD), que garante que ele teve influência no veto. “Eu não sei porque o senador Otto está tão apaixonado por mim. Onde ele vai, ele fala de mim. Nos palanques do interior, nas entrevistas, é algo inexplicável”, afirmou.

O secretário de Desenvolvimento Econômico Jaques Wagner, também rebateu as críticas do prefeito ACM Neto sobre o empréstimo. “Ele sabe que o contrato está assinado – o próprio presidente da República falou. Tanto tem contrato assinado que a gente entrou na Justiça e teve ganho de causa, então não tem nada a ver com choramingar”, explicou.

Na ocasião, o petista comentou a provável candidatura do democrata ao Palácio de Ondina em 2018. Em sua opinião, Neto “acha que tem que ser candidato para manter liderança”. “Até porque é essa a expectativa do vice dele [Bruno Reis], ele acha que vai sentar na cadeira de prefeito. Aí se Neto diz que não, já vai ter confusão no próprio grupo dele”, complementou.

  • Compartilhe:

Publicidade