SEGUNDA ETAPA DA VACINAÇÃO CONTRA FEBRE AFTOSA COMEÇA HOJE

01 de nov de 2018

Nesta etapa, serão imunizados animais com até 24 meses

 

Começou hoje (1º), na maior parte dos estados brasileiros, a segunda fase da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Nesta etapa, serão imunizados animais com até 24 meses. Apenas Acre, Espírito Santo, Paraná e parte de Roraima (reservas indígenas Raposa Serra do Sol e São Marcos) vão vacinar todo o rebanho (jovens e adultos).

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, na primeira etapa da campanha, em maio, foram vacinados 197,87 milhões de animais de um total previsto de 201,23 milhões de cabeças. A cobertura vacinal atingiu 98,33%.

Dados da pasta indicam que, atualmente, o rebanho brasileiro de bovinos e bubalinos é de 217.493.867. Os estados com maior número de animais são Mato Grosso, com 30 milhões e Minas Gerais, com 23,3 milhões. O município com maior rebanho é São Félix do Xingu (PA), com 2,2 milhões de cabeças.

O Brasil é classificado como livre da febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, na sigla em inglês). O estado de Santa Catarina, que não vacina o rebanho desde 2000, é reconhecido, desde 2007, como área livre da doença sem vacinação.

Ainda de acordo com o ministério, os cuidados com a vacinação incluem:

– comprar vacinas somente em lojas registradas;

– verificar se as vacinas estão na temperatura correta (entre 2° e 8° graus Celsius);

– para transporte, usar caixa térmica, colocando três partes de gelo para uma de vacina, e lacrar;

– manter a vacina no gelo até o momento da aplicação;

– escolher a hora mais fresca do dia e reunir o gado para vacinação;

– só vacinar bovinos e búfalos;

– durante a vacinação, manter a seringa e as vacinas na caixa térmica e usar agulhas novas, adequadas e limpas;

– agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem certa em todos os animais (5 ml). O lugar correto de aplicação é a tábua do pescoço, podendo ser no músculo ou embaixo da pele. Aplicar com calma, para evitar a formação de caroço no local da vacina;

– seguir as recomendações de limpeza, utilizar a agulha certa, desinfetada e trocada com frequência;

– não esquecer de preencher a declaração de vacinação e entregá-la ao serviço veterinário oficial do estado, junto com a nota fiscal de compra das vacinas.

MURAL DO OESTE / Com Notícias ao Minuto

  • Compartilhe:

Publicidade