PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL ASSUME PREFEITURA DE PLANALTINA DE GOIÁS

08 de nov de 2018

Hernandes Morais Ferreira (PSDC) é nomeado chefe do Executivo local após prefeito-tampão ser preso e há cinco dias da posse do prefeito eleito

Hernandes, que está na primeira gestão como vereador, assume a prefeitura de Planaltina de Goiás até 13 de novembro(foto: Câmara Municipal de Formosa/Divulgação)

O presidente interino da Câmara Municipal de Planaltina de Goiás, Hernandes Morais Ferreira (PSDC), assumiu a prefeitura do município esta quinta-feira (8/11). Ele permanecerá na gestão até a próxima terça (13/11), quando o prefeito eleito, Eles Reis (PTC), assumirá o cargo. A chefia do Executivo local vagou após o prefeito-tampão, André Luiz Magalhães (PRB), mais conhecido como Pastor André, ser preso em uma operação do Ministério Público de Goiás (MPGO).

Pastor André é suspeito de interferir nas investigações do órgão sobre superfaturamento e fraude em licitações de uma obra da Câmara Municipal. A reforma em questão provocou um rombo de R$ 500 mil nos cofres públicos do município goiano, distante 63,3km da capital federal. O pastor era presidente da Casa quando a obra foi executada, no início do ano passado.

Continua depois da publicidade

Sucessão

Hernandes é o terceiro prefeito do município somente este ano. Ele era vice-presidente da Câmara Municipal na gestão do Pastor André e assumiu a casa interinamente quando o colega tomou posse na prefeitura, em 20 de agosto último, após a Justiça Eleitoral do estado cassar o mandato do prefeito eleito, David Alves Teixeira Lima, e também da vice na chapa, Maria Aparecida dos Santos (ambos do Pros), por compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições municipais de 2016.

A posse de Hernandes se deu de forma automática, após a emissão de um documento da Justiça Eleitoral que afastava definitivamente o Pastor André da presidência do Legislativo local. “Eu era vice e estava como (presidente) interino. Com a determinação judicial, automaticamente, assumi a prefeitura. A cidade não pode ficar sem prefeito”, explicou.

Questionado sobre o que poderá fazer em uma gestão de apenas cinco dias, Hernandes foi taxativo. “Estamos em um momento de transição. Vamos fornecer as informações que a equipe do novo prefeito precisa, de acordo com o exigido pelo Tribunal de Contas, seguindo a Constituição e a lei orgânica do município. Temos que manter a normalidade dos serviços, principalmente dos básicos, e tranquilizar a sociedade.

Hernandes está em sua primeira gestão e se identifica como líder comunitário e membro da comunidade católica do município.

Soltura

Pastor André foi preso na última terça-feira, acusado de interferir nas investigações do MPGO(foto: Câmara Municipal de Formosa/Divulgação)

 

Os advogados do Pastor André entraram com um pedido de habeas corpus nesta quarta-feira (8) e aguardam uma resposta do Judiciário para definirem os próximos passos da defesa do acusado. A licitação e as obras investigadas pelo MPGO ocorreram quando o político era presidente da Casa Legislativa local.

O MPGO deflagrou a Operação Mãos à Obra na madrugada desta terça-feira (6/11) e cumpriu cinco mandados de prisão temporária e três preventivas (incluindo o do pastor), além de 14 mandados de busca e apreensão em Planaltina de Goiás, em Goiânia, no município de Formosa e no Guará.

Os envolvidos responderão por associação criminosa, fraude em licitação, falsidade de documento público e particular, falsidade ideológica e peculato. De acordo com o promotor responsável pelo inquérito, Rafael Simonetti, as investigações prosseguem.

MURAL DO OESTE / Com Correio Braziliense

  • Compartilhe:

Publicidade