POR PLANALTO, MAIA MONTA EQUIPE E AGENDA VIAGENS

10 de jan de 2018

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), desceu do muro, assumiu sua pré-candidatura à Presidência da República em outubro e já monta até equipe. No próximo sábado, Maia embarca para os Estados Unidos para estrear como presidenciável no ambiente internacional, enquanto encorpa sua agenda de viagens internas com o objetivo de consolidar uma aliança de pelo menos quatro partidos para a largada. Além do DEM, tem conversas avançadas com PP e Solidariedade e namora PSD, PR e PRB, sonhando em atrair apoios em dois dos maiores partidos, PSDB e MDB. Em sua viagem para Washington e Nova York, Maia terá encontros com o secretário-geral das Nações Unidas (ONU), o português Antonio Guterres, dará entrevista para o jornal The Washington Post e pretende incluir um jantar com jornalistas e diplomatas. Depois, seguirá para Cancún, para um fórum econômico. Na volta a Brasília, ele poderá assumir a Presidência, caso Michel Temer mantenha a ida ao Fórum de Davos, na Suíça. A primeira reação de Maia quando seu nome começou a ser considerado como “candidato de centro” foi refutar a ideia. Primeiro, avançou e depois recuou nas articulações para assumir a vaga de Temer caso as denúncias do então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vingassem. Dizia e repetia que era cedo para almejar algo tão pretensioso e argumentava: “Sei do meu tamanho”. Porém, a pressão aumentou e ele agora assume que é pré-candidato. Na manhã desta terça-feira, 9, Maia recebeu um telefonema do ex-presidente do PSDB senador Aécio Neves (MG) para elogiar uma frase sua ao jornal O Globo: “Eu não tenho problema de correr risco, mas não estou disposto a participar de uma aventura”. O jogo de palavras, entre “risco e aventura”, remete a um discurso histórico do avô de Aécio, Tancredo Neves, que foi eleito presidente por votação indireta, em 1985, mas ficou doente e nunca assumiu. Na ligação, Aécio comemorou: “Você está começando bem!”.

 

Via: Estadão

  • Compartilhe:

Publicidade