LEI DE AUTORIA DE JUTAHY CONTRIBUIU PARA REDUÇÃO DA DESIGUALDADE NA PAÍS, DIZ PESQUISADOR

14 de set de 2018

O candidato ao Senado Jutahy Magalhães Junior (PSDB)

Em entrevista ao jornal Valor Econômico desta terça-feira (11), o coordenador do Centro de Políticas Públicas do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), Naercio Menezes Filho, ressaltou a importância, para a redução da desigualdade social no país, do Benefício de Prestação Continuada (BPC), criado pela Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), de autoria do deputado federal e candidato ao Senado Jutahy Magalhães Junior (PSDB). Atualmente, mais de 4 milhões de idosos carentes e pessoas com deficiência física são beneficiadas pelo programa que, em 2017, teve um orçamento 70% maior que o do Bolsa Família. A declaração de Menezes foi dada ao comentar sobre os desafios que o próximo presidente eleito enfrentará em seu primeiro ano de mandato, quando terá que propor a nova regra de ajuste do salário mínimo, o qual terá validade entre 2020 e 2023. Os beneficiários do Benefício de Prestação Continuada recebem um salário mínimo e, para o coordenador do Insper, a política de valorização do mínimo foi fundamental para reduzir a desigualdade no país, principalmente, através deste programa.

 

Via: Política Livre

  • Compartilhe:

Publicidade